Rômulo Vieira 18 de outubro de 2021

Que maravilha! Obrigado meu Deus por mais um dia de vida. Que enorme prazer poder contemplar esse sol lindo, que nos presenteia com tanta luz e nos traz esse calor radiante. Alguns incrédulos certa vez pediram a Jesus que lhes dessem um sinal do céu, pois não acreditavam que o mesmo pudesse expulsar demônios de algumas pessoas, pensavam que tal obra deveria ser de Beelzebul. Disse-lhes então Jesus: “ Todo reino dividido contra si mesmo será destruído e seus edifícios cairão uns sobre os outros …”  E nós o que diríamos? Coitados daqueles que ainda duvidam das obras do Senhor!  Com um sol desse ainda precisamos de mais algum sinal do céu? Não é necessário mais nenhum sinal. Esse sol nesse céu esplêndido  já nos apresenta plenamente a força da natureza, o poder de Deus.

A luz magnífica emanada por esse sol não nos deixa andar nas trevas. Nem nas do dia-a-dia, nem mesmo naquelas trevas do passado que ainda nos atormentam: a decepção com aquele que acreditávamos fosse um amigo e que nos traiu, aquele amor não compreendido, aquele sonho não realizado, aquela partida repentina de um familiar, as incertezas do amanhã, tudo foram trevas que a luz brilhante desse sol, não nos permite mais deixa-las nos envolver. E como não agradecer por mais um dia? Tantos não tiveram essa oportunidade hoje, partiram… E nós fomos, mais uma vez, convidados para vivenciarmos as maravilhas da natureza, tendo essa, como porta-voz, esse sol magnífico.

O sol não nos permite deixarmos que trevas invadam nosso dia. Vamos nos empenhar para  enriquecermos nossos dias, com ações que nos aproxime à vontade de Deus. Lembremo-nos de São Francisco de Assis, que conforme o Papa Francisco menciona em sua encíclica Fratelli Tutti,  “se sentia irmão do sol, do mar e do vento, sentia-se ainda mais unido aos que eram da sua própria carne. Semeou paz por toda a parte e andou junto dos pobres, abandonados, doentes, descartados, dos últimos”.

Por isso o sol nos irradia com toda essa luz, para que não tropecemos em coisas más. Vale concentrarmo-nos  no sábio pensamento: “É preciso fabricar os bons momentos, porque os ruins chegam sozinhos”.

É encantador o pacto entre o sol e a lua. Estão sempre em perfeita harmonia um complementa o outro. A lua sempre tão encantadora, brilha à noite, acompanhada pelas estrelas, estimulando os sonhos dos enamorados e inspirando sempre os poetas. O sol mantem-se de longe, contribuindo para o brilho da lua, mas só decide raiar, em plenitude, quando a lua se despede. A partir daí ele parece nos dizer: agora vamos realizar aqueles sonhos, inspirados pela lua, na noite anterior. Estou convosco e vou permanecer iluminando seus caminhos até a irmã lua voltar a brilhar, quando vos entregarei novamente aos seus novos sonhos. Vamos, viva comigo este dia!

As vezes percebemos alguns reclamando desse calor. Claro que ele é desafiante, reduz a umidade e nos incômoda, dificultando até mesmo a nossa respiração, mas poderemos minimizar esses transtornos, se pensarmos que esse calor aumenta a nossa sudorese e esta sudorese, por sua vez, aumenta a eliminação de elementos tóxicos do nosso organismo e podemos ir mais além: essa sudorese poderá purificar também os nossos espíritos, basta ver que somos privilegiados por estarmos recebendo essa luz, sinal de Deus.

Obs: O autor, Prof. Dr. Rômulo José Vieira é Acadêmico da Academia de Ciências do Piauí; Acadêmico da Academia de Medicina Veterinária do Piauí; Acadêmico correspondente da Academia de Medicina Veterinária do Ceará; Acadêmico correspondente da Academia Pernambucana de Medicina Veterinária; Membro da Academia Brasileira de Medicina Veterinária.

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I