Mauricio Soares 18 de outubro de 2021

[email protected]

Me encontro dentro de um silêncio que me alumbra
Sinto no meu ser
Um eco,
Sendo minha existência rasgada no meu centro interior
Sou no silêncio – penetrado pelo amor…
Ele me rasga adentro – leveza do lumbrar
O eco me move em seus trezentos e sessenta graus,
Sou dentro da plenitude do silêncio…
O universo é eco – beleza infinita de Te escutar,
Quanto maior a escuta… sempre mais a expansão
Um lumbrante ecoar
Escuto vozes…
Tudo é silêncio,
Sou escuta do Amado
Dentro do silêncio sou acolhido no Amor que me amou,
Ele me chamou… a ser sua pertença…
Ai… se instalou no meu ser interior o todo amar,
Dentro do meu coração o Amado se instala na pertença,
Sou no silêncio do Amado
Em silêncio escuto o chamou – Ele me chamou;
Dentro de mim Ele permanece em silêncio
Sou dentro do eco da eternidade,
Ó Amado de beleza tão intensa – me alumbra ser no Teu amor,
Sei que no silêncio estas dentro de mim
Sempre no silêncio comigo a me amar…
Sinto o silêncio do Teu perfume,
Respiro Tua voz – arma de luz
Sei que Te anelo…
Sinto o gosto da tua voz
Sabor de Pão no altar,
Sinto o perfume das rosas aromas de amor,
Sinto no meu ser o tempo – plenitude do eco no chamado
Meu amado me chamou
Me invade… adentra no meu ser interior,
Ah, me sinto dentro do escondido
Sou dentro da eternidade
Escuto o eco do amor,
O silêncio me arde no coração
Escuto a voz da eterna paixão,
Sou existência no tempo – tempo é o eco da eternidade,
Sinto a voz do meu Amado
Ele vem me fazer prenhe de amor…
Tudo é um silêncio no alumbrar do entardecer do Eterno amor…

Mauricio Soares
Me adentrastes e ardente fiquei do Teu desejo
Terminando o retiro de agosto

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I