Mauricio Soares 15 de setembro de 2021

Caruaru, 16 de agosto 2021
Dia do filósofo

Uma carta de Amor
À Sofia

A filosofia um ser dentro do pensar,
Quando filosofamos todo o nosso imaginário aflora dentro do amor ao pensar,
Filosofar é se comprometer com a verdade deixando ela nos amor… penetrar-ser um todo existir;
Pois, quando somos amado o amor se desnuda como a verdade,
Ela é sempre nua… tua… livre possibilidade no ser lançado…
Esse é o ser do filósofo, ser na verdade… um ser dentro da solidão;
Pensar é ser dentro de uma esmeralda…

Queria te falar de todas as tristezas; pensar o triste dentro da minha reflexão. Tristezas são partes dentro do todo de mim, sendo parte do meu ser me constituem, na Totalidade do meu existir.

Sofia queria fazer um reflexão crítica interpretativa do tempo; um obscuro momento estamos atravessando; sou um barro – sombra a caminhar no ser dentro do compreender o pensar, sendo pensado pela vida, eis quem sou.

Minha amada; o tempo é irreal… vemos tudo e não estamos vendo o ser da existência, dento do passado do presente; sábios, sacerdotes e videntes estamos buscando a compreensão de ver o mundo novo que virá…  Sim, ele vem entre as estrelas que veem de lá. Utopia do nenhures!

Vejo o passado abrindo o meu futuro. Passado é o espaço aberto da minha liberdade. Me vejo dentro do mundo, onde levo o melhor de mim… minha humanidade. O sentido da vida é o pasmo – espanto admirante; sou dentro do mirante da vida…

Te vejo Sofia no sombrio… a ignorância dos ultraconservadores que querem matar a razão – o pensar por dentro, nos privando do perguntar e questionar; eles querem banir a verdade, no distanciar do projeto de vida de mirar a liberdade. Eles expulsam a filosofia da vida e de dentro das academias.

A verdade libertadora da existência anunciada por profetas e vista no sonhos dos filósofos, que é sermos interpelado no ser intérpretes do mundo… se encontra no esquecimento do pensar; um mundo reduzido ao técnico, sem poesia e sem o pensar desabrochante da imaginação criadora.

Somos hoje viventes de um mundo sem projeto de vida; para não ver e termos nosso lugar no mundo… assim não buscamos perseverar o pensar, que nos abre no universo de ser-no-mundo. Pensar é se conhecer e conhecer o mundo, para nele nos fazer sendo na possibilidade de autocriamos o mundo novo. Não ter projeto e não participar de um é não ter mundo., é viver sem sonhos sem a criatividade de amar.

Sofia, pensar é não se conformar com o óbvio, é nos pôr dentro da inquietação da vida e ficar estático; em tempos sombrios como esses, pensar é se pôr na clareza da visão é nos ver dentro do projeto de ser-sendo no mundo, dentro da diversidade do aprender a pensar.

Sofia, aprendi que pensar é conversar com a vida, sendo convocado à verdade no seu nos pensar, nos interpelado para que sejamos liberdade amante de nosso ser no mundo; buscando uma vida feliz para todos dentro da totalidade em sua vastidão.

Aprendi que felicidade é justiça – bondade e beleza – partilha e verdade – apreender a ser pensado pela vida, onde sou comtemplado pelo Eros do chamado amante, que é logos – palavra que diz: ser é ir além da ventania que sopra, nos pondo na abertura de ser sagrada possibilidade, dentro das ambivalência da vida.

A filosofia… um chamado ao pensar amante na vida e com a vida. Estamos vendo um retrocesso humanitário, uma repudia aos direitos humano adquirido historicamente com muita luta pelos séculos. Grupos conservadores, querem se manter no poder. Eles impõem inverdades, e blasfemam o nome de Deus – o divino dentro –entre o universo da beleza.

Pensar é um preguntar-se dentro de um mundo esquisito… de lideranças embaraçadas, que ofuscam a verdade, e maquiam a verdade para que não desvelemos como eles manipulam o poder, em um privilegiar do injusto no menosprezo do justo.

Fazer perguntas é ser provocado interpelado pela vida, que nos inquieta no assombro do absurdo de um mundo injusto, que intimida os justos. Pensar é se encontra dentro do mistério de ser pensado, se permitir ao mistérios de ser interpelado, para se pôr no seu ser em constante construção.

A filosofia, é uma chamada ao ser amante da verdade, do bem e do belo; que se desvela no mundo de justiça social. Filosofia é o se deixar sendo interpelado pela sabedoria na escuta do mundo, em que nos encontramos dentro do assombro. A filosofia é um aleitar-se do néctar da verdade.

Isso porque, em cada micro e macro organismo tem uma chispa divina – princípio de tudo, onde somos dentro da Totalidade. Perguntar é ser interpelado sendo contemplado pelo princípio; e ser contemplado por Ele, é se expor constantemente aos seus raios, dados inflados de amor uma erótica de toda gnose dentro da ipignose no além do simples conhecer.

Sofia, gosto de ser pensado sendo sacudido como Tersa d’Ávila e João da Cruz; eles viveram a poética de serem transpassado pelos raios do luminoso o tudo Divino; sendo interpelados, em suas existências de amantes ao serem dentro do verdadeiro, sempre buscando a verdade; foram penetrado pelo Amado, que em silêncio lhe lançavam raios; luz penetrante que abria o coração – o ser interior, os deixando abertos pela seta de luz em Tereza; em João dentro da solidão ardente da noite escura.

Filosofar é adentrar na gnose indo para ipignose além do conhecido; é se expor de modo direto aos raios do Princípio epistêmico de tudo dentro da Totalidade. Esse é o momento místico auscutante, onde o filosofar se adentra no ícone-ser-pneumático, sendo o nosso intérprete dentro do mistério de ser interpelado contemplado pela beleza.

Em contraposição encontramos o modo de ser especulativo dos mistérios numa gnose epistemologia das ciências metafísicas conservadora, traçando uma linha de injustiça desumana no exercício do poder, seja religioso, político e econômico. Em vez de sermos abertos ao mistérios do pensar, com fez Teresa e João, nos fichamos ao mistério de sermos interpelados pela vida; com uma teologia e ideologia política conservadora desumana e negativista dos direitos humanos.

Vivemos hoje nos para raios da negação da verdade, onde o princípio – verbo – palavra pensante, é anulado no ser humano.

Sofia, somos hoje desterrado, sendo postos como corrente elétrica a ser neutralizado pelas pedestres doutrinas religiosas e políticas, que ao se tornarem simples especulação negacionista, se põe a verdade, esquecendo que o ser da verdade é o silêncio do não-ser, sendo interpelante da condição humano em seu ser no mundo.

Mauricio Soares
Parabéns!
Aos meus alunos/as e ex-alunos/as
Que se deixaram aprender a pensar
Sendo interpelados por Sofia no seu viver no mundo

 A vida é se deixar ser perguntado – questionado
Esse é o ser do aprender no filosofar

[email protected]

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I