http://institutodomhelder.blogspot.combr
[email protected]

www.domheldercamara.org.br

Meus queridos amigos

Um amigo perguntou-me se eu não exagero na linha da esperança. E quis saber se, de verdade, eu descubro saída e saída pacífica para a entalada em que se acha o mundo. E comentou a sabedoria popular do dito tão conhecido: “Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come”.

Deus me livre de negar que está difícil, aparentemente sem saída, a situação do povo. Hoje, alguém ter a coragem de se apresentar como tendo a solução, como tendo as soluções, é ridículo: nós todos estamos tateando nas sombras.

Mas vamos ver de perto o que todos nós repetimos em certas situações sem saída: “Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come”. Bicho! Que bicho é esse? Até quando seremos tão crianças a ponto de ter medo do Bicho-papão? Até quando vamos ter medo do Lobisomem?

Muita gente se prejudica ainda mais na vida devido ao medo.

Sei que se pode dizer que é fácil quem tem dinheiro e é forte e poderoso não ter medo. Como pode deixar de ter medo quem não tem onde cair morto e não tem como se mover vivo? Ah! Se os pequenos conhecessem quanta lei existe capaz de defendê-los!

Bem sei que os pessimistas, com olhos de carvão, vendo tudo escuro, logo dirão que lei só é aplicada quando favorece os grandes, e é como se não existissem quando favorecem os pequenos. Quando os pequenos se juntam dentro da lei, para defender, sem violência, os direitos que a lei garante, os pequenos se tornam grandes.

De primeiro, o grande cuidado da Igreja era acudir os necessitados: levar comida, roupa e remédios aos pobres. Claro que sempre haverá o cuidado, dentro do possível, de socorrer irmãos nossos, filhos de Deus, doentes, nus, famintos… Mas o cuidado número um da Igreja, em nossos dias, é lembrar ao povo que povo é gente, não é bicho, não é objeto, não é número. É gente. E tem cabeça para pensar e vontade para querer e boca para falar.

A grande caridade hoje consiste em ajudar a fazer justiça. O grande cuidado da Igreja é criar nos pequenos a confiança no direito.

Não deixar que o povo se embriague com apelo a violência. O grande trabalho da Igreja é ensinar aos pequenos as leis que os protegem e provar que o povo unido, dentro da lei, tem o apoio do governo, que existe para defender o direito.

 Se correr o bicho pega? A gente não tem medo do bicho. Se parar o bicho come? O povo tem direitos. Cada um sozinho não vale nada. O povo unido, dentro da lei, desafia qualquer Lobisomem, qualquer Bicho-papão. Terça-feira, 11.1.1977

Imagem e texto enviados pelo IDHEC – Instituto Dom Helder Camara
. Ver AUTORIZAÇÃO do IDHEC no item OBRAS LITERÁRIAS.

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I