Paulo Cesar Paschoalini 15 de agosto de 2021

http://pirafraseando.blogspot.com/

Ser poeta é, por sua vez,
questionar os inúmeros ‘porquês’;
é roubar do tempo a rapidez
e querer o que a vida desfez.

É expressar os gritos da mudez
e fazer ouvir ruídos na surdez;
é ver no translúcido a nitidez
e saborear o doce da acridez.

É tatear o morno da tepidez
e transformar a frieza em calidez;
é despir de pudor toda nudez
e despertar a libido da frigidez.

É desembaraçar-se diante da timidez
e agigantar-se em pequenez;
é fartar-se em plena escassez
e permitir inquietação à placidez.

É tratar com suavidade a rispidez
e converter indelicadeza em polidez;
é fazer da aspereza, maciez
e revelar humildade à altivez.

É propor prudência à insensatez
e buscar a cura para a morbidez;
é estar sóbrio de embriaguez
e mostrar-se demente de lucidez.

É dotar a estagnação de fluidez,
e extrair as cores da palidez;
é dar às vontades humanas solidez
e aos corações empedernidos, flacidez.

E nas linhas, que no papel se fez,
rascunhar, com leveza e avidez,
os desalinhos da alma, de vez,
com todas as certezas de um ‘talvez’!

– Poesia classificada como 10ª colocada no “5º Concurso Nacional de Poesia”, da cidade de Descalvado-SP, e publicado na coletânea “Marcas do Tempo VIII”, no ano de 2006.

===========================================

 IMAGEM SUGERIDA: (enviada pelo autor)

Site: https://pixabay.com

Obs: Paulo Cesar Paschoalini nasceu em 20 de março de 1960 em Piracicaba-SP. É graduado  em  Licenciatura  em  Filosofia,  escritor  de  poesias  e  contos,  com  premiações em Concursos nacionais e internacionais, tendo, inclusive, textos  de ambos os  gêneros  publicados  no  exterior. No ano de 2003 publicou o  livro “Arcos e Frestas”, “3º Concurso Blocos de Poesias”. Também já foi  premiado  na  categoria  crônicas, sendo  que algumas  delas  foram  publicadas  no  Jornal  de  Piracicaba  em  2001, 2002  e  2005. É compositor (letrista) de vinte músicas de diversos estilos. É Acadêmico da “CLIP – Confraria da Liberdade e Independência Poética”, onde ocupa a cadeira nº 32, tendo como patrono o poeta Mário Quintana. Escreveu os originais de “Mar adentro, mundo afora” (poesias) e “Paredes e tons” (contos), aguardando patrocínio para lançamento.

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I