[email protected]
http://ronaldo.teixeira.zip.net/
http://lounge.obviousmag.org/espantalho_lirico/

O grande lance da vida é a surpresa. Você pode não concordar comigo, mas se tirarmos ela de nossas existências o que vai sobrar de interessante? É claro que estou referindo-me à surpresa boa, aquela que, através da descoberta provoca o encantamento. Da má, não vamos tratar aqui. Pelo menos por enquanto.

É só a gente lembrar da primeira vez em que pegamos na mão daquela pessoa que gostávamos tanto na adolescência, ou ainda do primeiro beijo. Ou daquele presente tão desejado – também na adolescência – e que acreditávamos ser o passaporte para a auto-afirmação. Ou do primeiro emprego. E por aí vai…

Todos esses desafios estavam incontidos de expectativas pelo que iria acontecer; de descoberta por, enfim, desvendar-nos o novo; e de encantamento, pelo êxtase que nos invadia e colocava-nos numa outra dimensão, quando, enfim, tornavam-se acontecimentos que sobravam em beleza e deslumbramento.

E por falar em sobras, o que parece estar sobrando mesmo são botões. É o botão do controle remoto da TV, que nos torna um tolo senhor do mundo; o do forno de microondas, que nos ilude dando a impressão de que sabemos cozinhar; o do condicionador de ar, que não nos deixa transpirar, fazendo com que a nossa saúde – já debilitada pela correria desses tempos – vá para o brejo de vez; o das chaves do carro; os muitos do computador e do celular; o da porta do banco e os do caixa eletrônico. São tantos que acho não ser necessário listá-los aqui.

O certo é que estou por aqui de tantos botões. É claro que eles facilitaram – e facilitam – em muito as nossas vidas. Mas, com tanto apertar de botões, descobrir tornou-se um verbo jurássico e a surpresa, um conto da Carochinha.

Por outro lado, se continuarmos assim, daqui a pouco ninguém vai saber fazer alguma coisa, qualquer que seja, se não for através deles, de tão alienado quanto ao funcionamento dos objetos e equipamentos. Quer um exemplo: ao utilizarmos um carro com vidros elétricos por algum tempo, quando pegamos um que tenha a velha e prática manivela, olha lá nós perdidos e atônitos por alguns segundos tentando encontrá-la. E se for à noite, então, o caos é total.

Feitos para nos dar a sensação de poder, ironicamente passamos a ser dominados por eles. Acaso você nunca passou por uma situação na qual apertou um e ele não funcionou? Mas, o momento da pane dos botões nos lembra que a onipotência não é mesmo para nós, humanos. Ou, quem sabe, talvez seja porque apesar de dois milênios e de tanta tecnologia, o botão do autocontrole ainda não foi inventado.

Obs:  RONALDO TEIXEIRA @espantalholirico cearense de Iguatu, radicado no Tocantins há 50 anos, reside em Palmas. Foi coordenador de Arte e Cultura da Secretaria de Cultura de Gurupi por 8 anos. Atua no meio jornalístico há cerca de 28 anos. É bacharel em Comunicação Social – jornalismo. Autor dos livros MERCADOR (poesia/1998), SURTOS & SUSTOS (crônicas 2008); PARA QUE O FANTÁSTICO NÃO SE AUSENTE, (poesia/2012); e TRANSWEBHUMANAS – VINHETAS, METATRATADOS & BALADINHAS POÉTICAS (poesia/2019) pela Editora Kazuá (SP).

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I