Dasilva 15 de maio de 2021

O falecimento de tantas pessoas queridas ao longo de nossas vidas, e mais ainda, durante a pandemia, nos faz pensar sobre a vida e a morte. Por que a morte se tornou tão trágica e deixa esse rastro de dor e de nostalgia?

Fomos deformados para lidar com a morte. Diferente de outras culturas que têm outro olhar sobre a existência. A visão grega separa corpo e espirito. Pior, o corpo é matéria desprezível porque limita o ânimo que é a essência.

Essa visão esquizofrênica da pessoa foi inculcada na civilização católica ocidental por Agostinho de Hipona para quem o corpo, e nele todas as manifestações orgânicas, era um mal necessário, uma prisão detestável.

Outros povos olham o nascimento como o momento onde o espírito assume um corpo; a morte é a passagem pela qual a matéria que se espiritualiza e, por isso, se espraia invisível. Corpo e espírito são igualmente presença.

A água continua água, mesmo quando se torna vapor. Quando alguém ama concretiza a presença da pessoa amada quando recorda ou vê objetos, palavras, perfumes, histórias, mesmo que a amante esteja distante ou tenha partido.

Para espalhar o caminho de Jesus, 50 anos depois da sua morte, pelo poder religioso e imperial, os cristãos tiveram que escrever os Evangelhos e partilhar a experiencia do Senhor que expirou e continua presente entre eles.

A sabedoria dominante ensinava que se atinge a divindade pela inteligência. Para negar a humanidade de Jesus, caminho a ser imitado, os pagãos preferem pregar um deus no alto, para ser adorado ou distribuir favores.

A história registra a existência de figuras que foram tão humanas que só poderiam ser divinas ou, ao revés, suas presenças eram tão divinas que as suas vidas expressavam uma plenitude de humanidade.

Cada um de nós já experimentou essa presentificação invisível que torna quase palpáveis carinhos, paisagens, falas, momentos inesquecíveis…. É a presença do espirito que se materializa e da matéria que se espiritualiza. 1º de Maio, 2021

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I