[email protected]
https://blogdopadresena.wordpress.com

Quando a ditadura militar em 1964 atingiu violentamente o rio com a hidroelétrica de Tucuruí no Pará, Gerou energia falsamente limpa para atender a economia nacional. Mais tarde, o governo Lula da Silva, em submissão ao programa de aceleração da economia, o maldito PAC, destruiu parte do ecossistema do rio Madeira, com duas grandes barragens; em seguida, violentaram os rios Teles Pires e Juruena com uma dezenas de PCHs e centrais hidrioelétricas e assim violentaram os rios Xingu, Tocantins e outros. Tudo em nome do crescimento da economia,.

Por fim, pretenderam violentar o rio Tapajós com sete projetos de barragens. Passaram os governos Lula e Dilma. Entrou o Temer com seu péssimo governo anti Amazônia e agora o grotesco governo Bolsonaro.

Se moradores/as dos rios Madeira, Teles Pires, Tocantins e Xingu pudessem listar as graves consequências que herdaram desses malditos projetos, daria um livro volumoso. Mesmo o tapajós ainda não tenha sido violentado por barragens, mas já muito violentado pelos estragos dos garimpos e não só. Em frente a cidade de Santarém se podem ver o que vem de impactos pela frente.

De acordo com a defesa civil, o nível das águas do Tapajós dão sinais. No dia de ontem, 29, o nível estava com 7 metros e76 centímetros, mesmo com tanta chuva. No mesmo dia 29.04 de 2009 o nível das águas do tapajós eram de 8 metros. Portanto, 12 anos atrás, 24 centímetros a mais. Não se pode duvidar que com 4 grandes barragens no rio Teles Pires e mais 10 barragens no rio Juruena, dois alimentadores de águas no Tapajós, este tende a secar bastante. Se agora está assim, imagine em outubro pleno verão. Adeus Alter do Chão turístico!

Assim, vai diminuir a vida aquática, vai prejudicar as vidas dos que dependem do Tapajós além de atingir muito o meio ambiente. Para o progresso do Brasil talvez, emas danem-se os povos da Amazônia. Até que um dia, boa parte desses brasileiros/as decidam dar um basta, uma nova cabanagem ainda vai surgir.
Editorial RNA – 30.04.2021

Obs: O autor é membro da organização da Caravana 2016
Coordenador da Comissão Justiça e Paz da Diocese de Santarém (PA) e membro do Movimento Tapajós Vivo.
Autor dos livros: Amazônia: o que será amanhã? (Vol I e II) e Uma revolução que ainda não aconteceu.

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I