Vilmar Locatelli 1 de fevereiro de 2021

[email protected]

Se navego por entre as pedras
cortantes de um leito
de rio que secou,

Se perambulo nas areias
perdidas de um deserto
abandonado,

Se mergulho nas águas
sujas de um lago
esquecido pela vida,

Se cantando sozinho
num matagal extenso
estou,

Quero encontrar
Quem sabe talvez
Alguém que um dia
Me sorriu tristonha

Em seguida…
Sem me desviar o olhar
Desapareceu no bosque sombrio
Da vida que ainda era em mim

Nada falou
Mas tudo me disse
Em seus olhos
Senti, sei que morava
a ânsia da rejeição

Pra mim era mais que
uma abandonada qualquer
que se escondia na vida
Pois falava de algo profundo
que precisa ser mais
que amado

Era tão simples
não se vestia de púrpura
nem usava cordões de ouro
brincos ou pulseiras de
diamantes

Se cobria com a natureza
Trazia em seu corpo o perfume
da flor mais bonita encontrada
no compasso dos sentimentos
campos serenos das manhãs de
primavera.

Cabelos longos e negros
ornavam-se com rosas brancas
Tua pureza que em embebeda
Seduz e reluz
Era u ma luz

Se era perfeita não sei
Só sei… me apaixonei
perdido talvez iludido
que um dia pudesse voltar
me levar para conhecer sua morada
pagar minha entrada no paraíso.

É preciso que te encontre
Se entre a pedras
nas areias desérticas
nas águas mortas
no matagal talvez

Vou mesmo assim procurando
Eu sei
me encontrei chorando
a felicidade que foi embora
Por que não quer voltar?

Ainda assim
Magoado e triste
Continuarei procurando
Aquela que se foi
Sem me levar
Se foi assim…

Sem me desviar o olhar
desapareceu no bosque sombrio
da vida que ainda
Era em mim…

Obs: O autor é escritor, poeta, advogado, Especialista em Gestão Ambiental de Cidades e Mestre em Gestão e Planejamento Ambiental.

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I