[email protected]
http://ronaldo.teixeira.zip.net/
http://lounge.obviousmag.org/espantalho_lirico/

(para Jorge Luis Borges)

Tudo está contaminado
pela falsidade.
Foi o poeta o culpado
com o seu abuso
dos traços circunstanciais.

Restou-nos
essa tendência
à imprecisão,
tolerável ou verossímil
na literatura.

Esses artífices do verbo
que estão sempre em busca
da página mais precária de todas,
aquela em que nenhuma palavra
poderá ser alterada,
a página da perfeição.

Como o escritor
que mede a virtude dos outros
pela sua,
e exige que os outros
o meçam pelo que
ele vislumbra ou planeja.

Os leitores,
essas espécies já extintas,
porque há muito
trocaram a invenção literária
pelos simulacros.

Porque os autores desses últimos
há muito perderam
a normal respiração da inteligência,
ou seja, pensar, analisar e inventar.

Que o fato estético
prescinde sempre
de um certo assombro,
eles, os verdadeiros escritores,
sabem.

Que a concisão é uma virtude.
E que é melhor se demorar
em dez frases breves
do que em uma longa.

E sabem também
que devem sempre fugir
das palavras definitivas,
das que postulam sabedorias
divinatórias ou angelicais,
e daquelas outras resolutas,
donas de uma firmeza
mais que humana.
Enfim, da ênfase,
o equívoco preferido
da atual literatura.

Eis a sina dos escritores:
produzir uma escrita criadora
de um deus submisso
para que este possa
negociar com o demônio
a perpetuação da sua linguagem,
ou seja, a religião, as letras
e a metafísica,
seu tripé sustentador
da sua indumentária
de sonhos e trapaças.

Forjadores da identidade
do estético e do expressivo,
mas que acabam serviçais
dessas quatro distrações:
as visuais das metáforas,
as auditivas do ritmo,
as imprevistas da interjeição
e do hipérbato,
resultando em escravos
da paixão do tema tratado.

Confessam
a estranheza do mundo,
dizendo assombro
onde outros dizem hábito.

E seguem arrastando manso
nessa fauna fonética
seu sonho mallarmaico:
de que o mundo existe
para acabar num livro.

Obs: O autor é Jornalista e Gestor Cultural.

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I