Padre Beto 1 de janeiro de 2021

pt-br.facebook.com/PadreBetoBauru
https://www.youtube.com/padrebeto
Padre Beto oficial (@padre_beto_oficial) – Instagram

O que pensar de um filme que mostra as histórias a princípio desconexas de uma jovem vendedora de flor de lótus, um professor leproso, um condutor de táxi-bicicleta, uma prostituta, um americano perdido e um garoto de rua?
Essas são as peças do filme “Três Estações”, de Tony Bui. O filme mostra um país dividido entre a sua ideologia socialista e a premente necessidade de aderir à globalização. Perdidos no meio deste processo, os seres humanos que vivem no degrau inferior da escala social são os que mais sofrem na sua própria busca da identidade e do lugar ao sol. O trabalho do diretor e roteirista Tony Bui, um vietnamita criado nos Estados Unidos, é extraordinário ao juntar elementos como pobreza, prostituição, menor abandonado e doenças incuráveis e compor um poema que nos provoca atenção e compromisso.

Em Lc 12, 32-48 encontramos um texto construído em parábolas. Portanto, não podemos ficar nas aparências deste estilo literário, mas entrar em sua essência. Sem dúvida alguma, a conclusão de sua mensagem está no versículo 48: “A quem muito foi dado, muito será pedido; a quem muito foi confiado, muito será exigido”. Mas, esta conclusão só é compreendida a partir do momento que entendemos os dois temas principais das parábolas contadas por Jesus. O primeiro tema é a vigilância. O ser cristão é um ser vigilante, atento a todas as situações que o envolve. Esta atenção não é aquela que normalmente possuímos e que possui uma grande dose de sadismo. Nós, muitas vezes, entramos na intimidade dos outros para saber a desgraça ou o mal que aflige o outro. A vigilância cristã é acompanhada pela lucidez e pelo respeito. O cristão se interessa pelas situações a sua volta e procura compreendê-las perguntando sempre “por que”, “como” e “para que”. O cristão possui uma vigilância crítica que o faz ser alguém desalienado e, portanto, pensante. Porém, a vigilância cristã possui um objetivo. Aqui se encontra o segundo tema das parábolas: a responsabilidade. Se o cristão toma consciência de uma situação ele exige de si mesmo um compromisso perante ela, ele se sente responsável em fazer alguma coisa para que a situação seja
transformada para melhor. A palavra responsabilidade vem de “resposta”. Sentir-se responsável por algo é procurar dar a nossa resposta frente a este algo. O cristão é vigilante para saber o que acontece a sua volta e poderagir como um ser responsável e transformador. Por isso, o desfecho do discurso de Jesus. Se o cristão é bem informado, ou seja, se lhe é dado muito, muito lhe é exigido. O cristão vive em um caminho de transcendência, ou seja, de cada vez mais compromisso com o mundo a sua volta, justamente porque ele não é alienado, mas atento ao seu universo.

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I