1. O nascimento de Jesus é o Evangelho – a bela notícia: o Escolhido de Deus, tal qual novo Adão, se faz humano, arma sua tenda entre nós, e anuncia um novo começo. O Deus muito divulgado é feito à imagem e semelhança da fraqueza humana – moralista, juiz implacável, personalista, sedento de pompas, de sacrifícios e e rituais devocionais.
  2. Jesus apresenta a verdadeira face de Deus que é misericórdia, amor, solidar4iedade aos pobres e não aceita que nenhuma de suas criaturas se perca. Basta ver os exemplos: ‘qual o pai cujo filho pede um peixe ele dá uma pedra?’; ‘mulher, ninguém te condenou? Eu também não te condeno’; ‘hoje mesmo estarás no paraíso comigo’…
  3. Ao mesmo tempo, ao encarnar-se, Jesus vivencia e revela qual dever ser a verdadeira face do ser humano – aquele que ama: ‘ama o outro, como amas a ti mesmo’. Relembra que ‘somos imagem e semelhança de Deus’; que Deus ‘criou igualmente homem e mulher’; que ‘o maior é o que mais serve’, que ‘vem para salvar os pecadores’…
  4. Foi essa experiência, mais que qualquer doutrina, que encantou seus seguidores. Homens e mulheres se apaixonam e afirmam ‘só tu tens palavras da vida que não acaba’. Podiam repetir: “ele era tão humano, tão humano que só podia ser divino”. Como mensageiros, saíram pelo mundo, contra tudo, dizendo ‘ai, de nós se não Evangelizar!’
  5. E, ‘cada dia, entrava mais gente no Caminho’. Jesus não fundou uma instituição, nem buscou prosélitos como escribas e fariseus. Escolheu, a dedo, as ‘pessoas que ele quis’ para ser missionárias que pescam multiplicadores, em cadeia. Sua missão é implantar o Novo Céu, desde já, até os confins da terra, em todos os povos e, em todos os tempos.
  6. A condição de discípulo é a permanente Conversão que é voltar ao leito da estrada para a qual fomos criados e da qual nunca deveríamos ter desviado. Alerta que haverá a tentação da estrada fácil, que é preciso estar vigilantes para não perder a fé diante do apelo dos ídolos e, perseverar. O Pai não vai nos tirar do ‘mundo’, mas nos livrar do mal.
  7. Os convertidos se Batizam com água que expressa a aceitação interna do caminho proposto pelo Espírito de Deus e partilhar do banquete fraterno. O Natal é o anúncio da descida do céu à terra e a convocação para transformá-la numa terra celeste. A epidemia, quem sabe, pode tornar-se momento de resgatar a Bela Noticia que é o Natal. 10/12/2020.
Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I