Atenção, atenção!  Temos  quatro semanas para construirmos o Natal. Espero, sinceramente, que não tenha levado ninguém a pensar: mas  por que o alarde? Quatro semanas é tempo suficiente para construirmos nossa árvore de Natal.

Não, não estamos falando dessa construção. Estamos falando da construção que o Advento nos convida. Mas afinal, o que é Advento?

Advento origina-se da palavra  latina Adventus, do verbo Advenire que significa “chegar”, aproximar-se, vir chegando aos poucos. É o primeiro tempo do Ano litúrgico, tempo que antecede o Natal. Em especial  o advento diz respeito à chegada de Jesus ao mundo.

Faz-se referência que o Advento teve início entre os séculos IV e VII, praticamente em todo o mundo, objetivando a preparação para a festa do Natal. Este período inicia sempre no domingo mais próximo do dia 30 de novembro e termina no dia 24 de dezembro, na véspera do Natal. Dura quatro semanas. Neste ano de 2020 teve início no dia 29 de novembro.

Para os cristãos é tempo de preparação e alegria, tendo em vista as comemorações do nascimento de Jesus Cristo. Mas não podemos pensar em chegarmos ao Natal só com o espírito de festa, de troca de presentes, de farta refeição, com o tradicional peru, com o panetone, com as guloseimas, rabanada etc., etc. Mas acima de tudo devemos chegar a esta comemoração com o espírito novo, transformado, amadurecido.

Há séculos os profetas já anunciavam a vinda do Messias, o Cristo. João Batista não se cansou de bradar aos quatro cantos que Jesus estava chegando, nos trazendo um novo mundo. E o próprio Jesus Cristo nos informara da vinda do Reino de Deus. Mas nem todos nós ouvimos e entendemos esses anúncios, não nos modificamos, não nos transformamos até hoje. Não percebemos que Jesus Cristo já veio ao mundo, já nos deixara os caminhos a seguirmos, que insiste em que possamos ouvi-lo a cada dia, nos apresentando mensagens de todas as formas. Indicando que um dia voltará aos nossos tempos, mas que está aguardando por nós no vosso reino.

É preciso vivermos o arrependimento e assim possamos ser mais fraternos e possamos abraçarmos a verdadeira paz. Se não estivermos em paz, como podemos dar um abraço de paz? Com certeza precisamos construir a nossa alegria, aumentarmos nossas expectativas de dias melhores, renovarmos nossa fé, acreditarmos no amor de Deus e na vontade Dele de sermos santos.

É por isso que  o ano litúrgico tem início com o Advento e assim possamos ter e vivermos um ano novo melhor. Mais saudável, mais feliz. Ao abraçarmos um amigo lhe desejando um Feliz Natal, que realmente possamos transmitir-lhe essa felicidade, essa esperança do perdão por nossas  faltas e a certeza de vivermos a paz, o amor.

No advento precisamos abrir o coração. Deixarmos toda a sujeira  sair, escorrer toda a maldade que carregamos até então, organizarmos nossos pensamentos e os elevarmos bem alto até chegarem aos céus, onde um dia desejamos morar. Após o esvaziamento do nosso coração das coisas inúteis que impedem o nosso crescimento espiritual, deixemos as portas do mesmo escancaradas, para que Deus possa entrar e nos enriquecer como cristãos.

Se deixamos Deus penetrar nos nossos corações no Advento, é hora também de silenciarmos, conversarmos com Ele. Veremos que temos muito que agradecer e muito que pedirmos perdão. Nesse período precisamos intensificar a vigília e é tempo  também de muita oração.

O encontro com Deus nos leva a vermos nossos irmãos sem  a lente que usamos só para os seus defeitos. Poderemos vê-los na sua grandiosidade, principalmente quando eles também abriram os seus corações. Se eles ainda não fizeram essa abertura, vamos ajudá-los a arrebentarem  as portas de  seus corações e deixarem Jesus entrar.

O Advento é tempo de mudança, de conversão, de construção de um ser melhor, de busca  da luz dos céus, de procurar um encontro pessoal com Deus. É tempo de sepultarmos o egoísmo,  de não deixarmos o orgulho prevalecer, de cultivarmos a humildade, de praticarmos a caridade e a solidariedade, de renovarmos nossa fé, de banirmos a tristeza e o pessimismo de nossas vidas. É tempo de vivermos o amor. Só assim poderemos viver um Feliz Natal.

Vamos viver o Advento?

Obs: O autor, Prof. Dr. Rômulo José Vieira é Acadêmico da Academia de Ciências do Piauí; Acadêmico da Academia de Medicina Veterinária do Piauí; Acadêmico correspondente da Academia de Medicina Veterinária do Ceará; Acadêmico correspondente da Academia Pernambucana de Medicina Veterinária.

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I