Assim falou o chefe dos sacerdotes de Bethel para o profeta Amós: “Vidente, vai te embora daqui, vai para a terra de Judá e ganha lá o teu pão profetizando. Mas não continues a profetizar em Bethel, porque aqui é o santuário do rei, uma residência real”. Amós 7, 12
O rei da Samaria faz o que ele quer. Um “reforço do Alto”, que o santuário promete, é bem vindo para ele. O chefe dos sacerdotes cobra obediência, mas o profeta não se retira. Se precisa de profetismo, é agora. A situação está tão séria que Javé diz: “Não continuarei a perdoar o pecado!”  Amós 8,2  – Será que o Misericordioso vai esquecer da sua misericórdia?
Esta é a situação no Brasil: A consciência se acha desligada. A brutalidade escalou aos poucos sem grandes protestos e se apresenta como normalidade. Está tudo bem. Amós está desesperado, porque ninguém quer ver o que está escancarado. O problema é o profeta: VAI EMBORA PARA TUA TERRA.
O fogo infernal na Amazônia não é problema. A alta de mortes pela epidemia não é problema. O profeta prediz: “Haverá dias em que enviarei fome sobre a terra, não uma fome de pão ou sede de água, mas fome de ouvir a Palavra do Senhor. Andarão errantes de um mar ao outro e não a encontrarão e de sede desfalecerão”. Amós 11-12.  Não tem perdão quem tem a vista boa e se faz de cego.
O profeta está no fim das forças. O que lhe resta? Somente resta anunciar a catástrofe. Mas não tem um mal que seja suficiente para acordar o povo. O pantanal está em chamas! – Eu sei! – Na Amazônia estão se extinguindo povos inteiros! – Eu sei! – Os brigadistas de fogo foram impedidos a fazer a defesa! – Eu sei! Deixa de ser chato!
Surgiu uma esperança, quando o Governo blasfemou contra Senado e Supremo que ensaiavam uma   resistência, mas agora se fala de novo em HARMONIA DOS PODERES. De onde virá o socorro?

Onde está Amós? Ele voltou realmente para sua Judeia? Não. O profeta incentivou 152 Bispos a  redigir um documento que deveria inflamar os corações; eis aqui um pequeno resumo: “…..Os planos do Presidente são antiéticos e se baseiam numa política mortífera. O Brasil passa pelo período mais dramático de sua história e é sacudido por uma tempestade. Juntam-se uma crise de saúde como nunca se viu e um desabamento da economia: uma tensão que em grande parte é causada pelo atual presidente. O governo não se preocupa com o Bem da Nação, quando faz uma política mortífera que só pensa no lucro do mercado. Toda hora ouvimos discursos que contradizem a ciência, e banalizam a epidemia. As “reformas” da Lei Trabalhista pioraram a situação, deserdando mais ainda os que estão desprotegidos. O controle da exploração da Amazônia é ineficiente. O Bem Comum e a paz social estão em perigo….”

Realmente impactante! Mas o apelo dos bispos está lá como se não estivesse. O presidente já está  em tempo de nova campanha eleitoral, e os apoiadores são muitos. O problema é o silêncio dos fiéis: “O que você tem? Está tudo em paz!”  Como se dissessem: “Eu gosto de você, mas deixa de falar de política”. É o desespero de Jesus que tenta dizer em Mat 16, 6: “Guardai-vos do fermento (das ideias) dos Fariseus e Saduceus”. E eles, tão alheios, pensam que Jesus está preocupado com falta de pão: “Ainda não compreendeis…?”  Se o Mestre se desesperou e não conseguiu abrir os olhos dos discípulos, o que será de nós?

O que é que Amós pode fazer? Voltar realmente para sua terra de Judá? – Nunca! Se é para atravessar o VALE DAS SOMBRAS, ele vai junto. O que o segura são os HUMILDES DA TERRA  que são mencionados no Sl 35, 20. Eles já gastaram seus argumentos e agora só  fazem aguentar em silêncio, que a tempestade não derrube tudo. É para eles que Amós ainda pode falar. No abandono atual é importante saber QUE AINDA HÁ PROFETA EM ISRAEL. Exílio é quando a gente não entende a língua da terra. É isto que já ouvi várias vezes: “O Senhor não entende!” Realmente para mim não dá para entender. Mas você está entendendo isto? Teresina, dia 26 de outubro de 2020

Obs: O autor é Frade Franciscano, nasceu na Alemanha em 1940.
Chegou ao Brasil como missionário em 1964. Depois de completar os estudos em Petrópolis atuou no Piaui e no Maranhão. Exerceu trabalhos pastorais nos anos 80 em meio a conflitos de terra. Desde 1995 vive em Teresina no RETIRO SÃO FRANCISCO onde orienta pessoas na busca da vida espiritual.   

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I