http://pirafraseando.blogspot.com/

Produção britânico-indiana de 1982, dirigida por Richard Attenboroug, foi indicada ao Oscar em 11 categorias, ganhando 8 estatuetas, entre elas de melhor filme e direção, além de melhor ator para Bem Kingsley, no papel-título.

Conta a vida do líder indiano Mohandas Karamchand Gandhi e sua luta para independência de seu país, sob domínio do império britânico. Mais tarde ficou popularmente conhecido como Mahatma Gandhi (Mahatma, “a grande alma”, em sânscrito). Narra também sua tentativa de conciliação entre os diferentes segmentos religiosos, buscando a unificação da Índia.

O domínio inglês

Após sua chegada à Índia, Gandhi mantém contato com figuras expressivas do Congresso Nacional Indiano e é convidado a viajar de trem pelo país para conhecer a realidade vivida pelo povo, com desigualdades sociais gritantes. Ao ver-se diante de situações em que o império britânico se utilizava da força para manter sua supremacia, surge como conciliador visando unificar de hindus e muçulmanos no processo de libertação.

Para isso, conclama o povo a assumir sua própria identidade, usando roupas simples de confecção artesanal, boicotando, assim, o comércio de tecido inglês, além de organizar a “Marcha do sal”, como forma de resistência ao poder militar de seu opressor. Ao longo da história, toda vez que um país vence seu oponente através de um conflito armado, acaba por impor ao povo vencido sua cultura, crença religiosa e costumes.

Embora algumas ações do exército britânico tenham sido respondidas com violência, principalmente por parte do segmento muçulmano, as tropas militares bem treinadas e seu aparato armamentista foram sendo paulatinamente desmoralizados por atitudes pacifistas, planejadas e implementadas por Gandhi.

A política da não violência:

A trajetória de Gandhi é mostrada, desde sua juventude na África do Sul e seu contato com o “apartheid”, regime britânico de segregação racial. Naquela oportunidade era um recém formado advogado, que acaba sendo expulso de um trem em que viajava, por recusar-se a deixar a primeira classe, destinada a pessoas de pele clara. Desde essa época, suas atitudes sempre foram pacíficas, que não devem ser confundida com passividade.

Ao retornar à Índia e encontrar um país subjugado pelo império britânico, decide adotar a política de não agressão, acompanhada de desobediência civil, como enfrentamento às ações militares de seu dominador. Sua estratégia pacifista ganha o apoio não só das massas, mas também da burguesia, alcançando, inclusive, reconhecimento internacional.

Na frase “olho por olho e o mundo acabará cego”, que sintetiza sua visão peculiar de enfrentamento, Gandhi conseguiu enxergar muito além do que aqueles que, impedidos pela cegueira do ódio, insistem em ações de retaliações cada vez mais violentas. Ironicamente, justamente ele que lutou pela paz, acabou por ser covardemente assassinado a tiros por um fanático indiano.

Caminho para a paz:

Numa época de conflitos sociais em várias partes do mundo, o filme é um convite a uma reflexão a respeito de atitudes de violência do ser humano, que visam a dominação humana sobre seu semelhante, que nos remete ao filósofo inglês Thomas Hobbes e sua célebre frase “o homem é o lobo do homem”.

Sua maior vitória foi seu legado através de atitudes baseadas em estratégias pacíficas, conseguiu obter resultados de muito mais eficiência do que as ações de represálias contra seu oponente britânico. Na busca incessante pela paz, encontramos em Gandhi um líder singular.

Outra frase desse pacifista indiano, que vem ao encontro de suas atitudes ao longo de sua vida: “não existe um caminho para a paz; a paz é o caminho”. Sendo assim, fica a expectativa de que a paz seja o caminho a ser trilhado pelo ser humano contemporâneo, embora isso possa soar como uma utopia.

===========================================

IMAGEM SUGERIDA enviada pelo autor:

Site: https://pixabay.com/pt

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I