resomar 1 de setembro de 2020

Há quem diga que a distância não afasta as pessoas…
Há quem diga que o amor sobrevive a todas as adversidades…

Eu até concordo com quem pensa assim, mas o que me tortura tremendamente é o silêncio emudecido, que não consegue ou que não quer conscientemente partilhar, que expressa através de atitudes “ser melhor, ou mais prudente, que seja assim…”

Quando o rumo da alma ou da palavra se desintegra, o grito explode e o inconformismo tremula no crepúsculo…
Quando a ausência dos momentos vividos sopra de leve as cinzas ou a poeira da saudade, questiono o lamento nesta tremenda solidão, aprisionada na dor inquieta da espera…

A história se repete na turbulência do olhar, na face trêmula de arrepios, onde as lágrimas percorrem os passos impensados e desconhecidos…
Sinto com intensidade que tudo tem um custo…
Viver será sempre essa agonia desesperada de desejar ardentemente um gesto que rompa fronteiras…

Já não consigo mais administrar incertezas…
Já não consigo mais carregar sonhos dispersos no caminho…

Não se trata de ignorar as situações confusas, mas de buscar o equilíbrio e a força para deixar-me, ainda que no cansaço, transpor as perplexidades do pensamento e colher o instante do coração…

Indago até quando nossas sombras ausentes nos perseguirão, ou nossas rugas (des)coloridas de espanto rasgarão nossos desejos…

Ousadamente te carrego para a areia entorpecente de meus devaneios, e a memória sinaliza um passado que já se foi…
Remendos e espinhos, erros e acertos, dúvidas e medo…
Um súbito toque rasga o tempo e eternizo o momento…
20.07.18 – 18:37h

Obs: Imagem enviada pela autora (retirada de Pixabay)
[email protected]

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I