Padre Beto 15 de agosto de 2020

pt-br.facebook.com/PadreBetoBauru
https://www.youtube.com/padrebeto
Padre Beto oficial (@padre_beto_oficial) – Instagram

O professor de Economia, Walter Vale, precisa ir a Nova York para uma conferência. Porém, descobre que um casal está morando em seu apartamento: Tarek e Zainab, imigrantes ilegais que tocam suas vidas normalmente na Big Apple. Após um habitual período de desentendimentos, o professor acaba propondo abrigo para eles em seu apartamento e, aos poucos, vai se envolvendo com essas pessoas e com o tambor sírio, instrumento que Tarek toca. “O Visitante”, de Thomas McCarthy, é o caminho de descoberta de si mesmo no aprendizado da convivência com o diferente.

Na despedida de Jesus (Jo 15, 26-16,4), no Evangelho de João encontramos o objetivo de todo aquele que deseja ser cristão. “Quem guardar a minha Palavra, eu e meu Pai o amará e viremos fazer morada nele”, diz Jesus. Com estas palavras, o Evangelho estabelece, de uma forma clara, como podemos viver uma sintonia profunda com Deus. “Guardar” aqui não é um exercício de memória, mas na Antiguidade significava viver, manter vivo em atos e ações. A partir do momento em que vivemos os princípios universais que Jesus de Nazaré viveu, Deus se faz morada em nós. Esta sintonia com Deus nos faz lembrar o encontro de Jesus com a samaritana, no Evangelho de Lucas. A mulher estrangeira pergunta para Jesus se Deus deve ser adorado naquele monte ou em Jerusalém. Jesus responde que nem ali e nem em Jerusalém, mas que chegará um tempo em que Deus será adorado em espírito e em verdade. Deus é adorado através de nossa identidade e através de ações que são verdadeiras. Quem assume em sua identidade os princípios pregados pelo Cristo precisa assumi-los em seus comportamentos. Completando a fala sobre a sintonia com Deus, Jesus faz uma distinção entre a paz que Ele oferece e a paz que o mundo pode dar. A paz que o mundo oferece é aquela através do individualismo, quando deixo de prestar atenção ao sofrimento alheio, através da acomodação, quando me acostumo com os meus próprios sofrimentos, através do entretenimento, quando me alieno com a política de pão e circo exercida pela sociedade de consumo. Esta paz é exclusivista e alienadora, além de totalmente frágil. Mas a paz que Jesus oferece é aquela que surge do compromisso com a vida, da vivência de sua palavra. A paz da missão cumprida, realizada, esta é a paz de Deus. Eu tenho esta paz quando não deixo de falar, não sou omisso, e tenho atitudes que se comprometem diante do sofrimento alheio, com a situação das outras pessoas e da sociedade. A vivência da Palavra de Deus começa com o amor profundo ao próximo e isso vivido com seriedade pode me trazer problemas, mas sempre me mantenho em pé, pois Deus me oferece a paz necessária. A paz daquele que não é corrupto, de quem é honesto e de quem luta pela justiça. Esta paz ninguém pode nos tirar.

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I