“Vocês querem socorrer os pobres, eu quero abolir a miséria” Victor Hugo

  1. A fome tem pressa e é preciso dar o peixe a quem morre de fome. Em uma tragédia, a fome desperta muita gente a contribuir com várias e ambíguas intenções. Às vezes, por compaixão ou pena, para aliviar o sofrimento das vítimas. Outras como caridade visando prosélitos ou a salvação eterna. Há empresas doam para descontar no imposto de renda ou fazer propaganda de sua marca. Muitos candidatos percebem a possibilidade de votos. Não faltam os que aproveitam a ocasião e arrecadam doações para si próprios.
  2. A forma de esvaziar, com ou sem intenção, a radicalidade da solidariedade humana, é reduzi-la a uma mera assistência de gente boazinha. D. Hélder Câmara dizia: “Se dou comida aos pobres, me chamam de santo; se pergunto porque passam fome, me chamam de comunista”. E o cantor popular pedia “seu doutor… não dê esmola”… “porque ela enche de vergonha ou vicia o cidadão”. É preciso dar o peixe, envolver o faminto nessa conquista e convencê-lo a se juntar a outros para retomar o lago que já não é do povo.
  3. Solidária é quem fica feliz com a felicidade e a realização alheia. Quem fica indignada contra a injustiça. Quem trata o próximo com respeito. Quem anima na dúvida e na dor e alerta no erro. Quem partilha o pão, a inteligência, a força e a habilidade com a classe explorada. Quem se dedica à educação da maioria. Quem se derrama em ternura pelas crianças e pelos companheiros. Quem se mete na conspiração e arrisca a própria vida, para construir uma social que reparte o pão, o poder, a beleza e a equidade.
  4. Assim, Solidariedade é a postura e o gesto gratuito e concreto que não faz para receber. Mas, essa atitude que subverte a lógica do mercado, significa um vigoroso protesto contra o descaso, exclusão e uso utilitário do pobre, no esforço de resgatar sua vida, dignidade e protagonismo. A solidariedade, por ser profundamente humana e política, gera confiança e reconhecimento, inspira reprodução e até provoca reciprocidade. Porque essa prática se baseia e se nutre numa causa justa – a fraternidade universal.
  5. Solidariedade é militância, pois, “militantes não vêm para buscar o seu. Vêm entregar sua alma por um punhado de sonhos” (Mujica). “Se sentires a dor dos outros como tua dor, se a injustiça no corpo do oprimido for a injustiça que fere tua própria pele, se a lágrima que cair do rosto desesperado for a lágrima que você também derrama, se o sonho dos deserdados desta sociedade cruel e sem piedade for o teu sonho da terra prometida, então, serás um revolucionário, terás vivido a solidariedade essencial” (L. Boff)
Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I