http://institutodomhelder.blogspot.com.br
domdapartilha@gmail.com

Meus queridos amigos

Nós sabemos que fábulas são pequenas narrativas, quase sempre em versos e de onde se tira alguma lição. Um dos mais conhecidos fabulistas é La Fontaine. Mas, hoje, vamos lembrar algumas fábulas de Trilussa, que é, provavelmente, o maior fabulista moderno da Itália. Reparem como ele apresenta o gato socialista:

“Um gato, conhecido socialista, no fundo espertalhão matriculado, estava devorando um frango assado na residência de um capitalista.

Eis então que outro gato apareceu na janela que dava para a área. ‘Amigo e companheiro, também eu faço parte da classe proletária. Melhor do que ninguém conheço as tuas ideias. Estou mais que certo, pois, de que dividirás o frango em duas partes uma para cada um de nós dois’… Vá andando, resmunga o reformista — em jejum sou de fato socialista, mas, quando como, eu sou conservador.”

Há socialistas sinceros. Mesmo perseguidos, mesmo comendo brasa, continuam fiéis a seus ideais. Mas não falta quem adote o lema do gato socialista, mesmo sem a liberdade de proclamá-lo:

“Em jejum, sou, de fato, socialista, mas, quando como eu sou conservador”.

Trilussa pergunta:

“Está vendo aquele homem gorduchão que admira a própria pança e a acaricia com uma espécie de veneração? É um ricaço que, em anos dilatados vendendo gêneros adulterados conquistou uma grande posição. Vive, hoje, uma existência retraída e não quer outra vida. Que lhe importa o que vai por este mundo se lá no fundo ele a nada mais liga a não ser para a barriga. Nele a pança assumiu a direção de tudo — da cabeça ao coração. Assim, para externar um pensamento olha e apalpa a barriga com carinho para que ela o auxilie no raciocínio”.

Quando a guerra estourou eu o encontrei e disse: “Então?” Ele respondeu: “Parece que as coisas por aí vão mal. Nem sei, da minha parte vai-se temperando. Mas isto durará? Sim? Até quando? Como bom cidadão, haja o que houver amando a minha pátria com carinho,

saberei cumprir bem o meu dever. Os passos iniciais já foram dados — estou comprando arroz, azeite, vinho açúcar e feijão, café e toucinho. Toda espécie de secos e molhados.”

E assumindo um olhar sério, os olhos pousaram no teto, procurando se, afinal, não tinha esquecido alguma coisa. É que ele é assim: com toda segurança sabe unir muito bem, no mesmo ideal a Mãe Pátria e a Mae Pança. Trilussa, meu velho amigo, é raro ou a gente encontra bastante quem una a Mãe Pança e a Mãe Pátria? E ainda existe quem esqueça a Mãe Pátria para salvar a Mãe Pança?Segunda-feira, 31.1.1983

Obs: *Mais uma das crônicas escritas por Dom Helder Camara para o seu programa de rádio UM OLHAR SOBRE A CIDADE, exibido na rádio Olinda às 06h55 de 01 de abril de 1974 a 22 de abril e 1983. Está crônica está publicada no livro “Meus Queridos Amigos”, que reúne 200, das centenas de crônicas lidas por Dom Helder ao longo dos nove anos de duração do programa.

 Imagem e texto enviados pelo IDHEC – Instituto Dom Helder Camara
. Ver AUTORIZAÇÃO do IDHEC no item OBRAS LITERÁRIAS.

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I