Além de todas importantes e profundas implicações na “realpolitik” mundial, o reatamento das relações diplomáticas entre Estados Unidos e Cuba trouxe de volta um sonho que estava adormecido ou era considerado por alguns impossível ou “devaneio de idealistas”. Sim, a frase do presidente Obama, em bom espanhol, “somos todos americanos”, mais do que o ato político em si mesmo, significa que os melhores ideais de Thomas Jefferson, de Benjamin Franklin, de Simon Bolívar, de San Martin, de José Marti, de Abreu e Lima (entre tantos outros personagens históricos conhecidos e sonhadores anônimos) voltaram à pauta do futuro de nosso continente e de seus povos. Como gestor do programa de intercâmbio internacional para estudantes do ensino médio das escolas públicas estaduais (Programa “Ganhe o Mundo” da Secretaria de Educação de Pernambuco que, em três anos, já enviou 3383 alunos para cursarem um semestre letivo no exterior) tenho tido a oportunidade impar de conhecer mais profundamente o dia a dia, a cultura, os sistemas educacionais dos países parceiros, o “coração” e a “cabeça” de sua gente, dos seus educadores e de algumas de suas lideranças. Sem a mínima dúvida, posso afirmar que, parafraseando Gilberto Freyre, “eu ouço vozes, eu vejo as cores, eu sinto os passos de uma outra América que vem aí”. E o que eu “ouço, vejo e sinto” está ali bem pertinho, na próxima “esquina da história”. Alguns até dirão que não é mais um ideal ou sonho e sim uma necessidade pragmática para enfrentar os blocos econômicos que estão se formando neste mundo contemporâneo globalizado. Tanto faz. O que importa é que seremos inevitavelmente (e muito mais rápido do que a grande maioria pensa) uma única América, com um povo especialíssimo, resultado de um cadinho de miscigenação de raças e mistura de culturas que está acontecendo em todos os países de nosso continente, mas atualmente com maior intensidade e rapidez nos dois mais ricos e desenvolvidos. Apenas como ilustração vale a pena lembrar que, em 2050, a maioria da população dos Estados Unidos já não será mais de ”brancos não hispânicos”, pois latinos, negros e asiáticos corresponderão a 53% do total. E as principais cidades canadenses, para quem não sabe, já parecem um crisol genético universal. Tem de tudo. Lindo! Bem, como o contexto é novo (muchas gracias Papa Francisco, por tudo, em todas as áreas e dimensões) gostaria então de denominar o antigo sonho de uma maneira também nova. Não mais “Pátria Grande” ou “Pan América”, mas sim “Grande América”. Do Alasca a Patagônia, uma única grande federação de países, com mais de um bilhão de cidadãos e cidadãs, tendo o inglês, o espanhol, o português e o francês (em respeito e consideração com a população francófona da província canadense de Quebec) como línguas oficiais. E essa nova “Grande América”, com todo mundo “junto e misturado” (imaginem chamar de “nosso” Gabriel Garcia Márquez, Jorge Luis Borges, Gabriela Mistral, Miguel Ángel Asturias, Pablo Neruda, Octavio Paz, Mario Vargas Llosa, Hemingway, Allan Poe, Ralph Emerson, etc e eles chamando “de deles” Carlos Drumond, Augusto dos Anjos, Vinicius de Moraes, Mario Quintana, Ariano Suassuna, Jorge Amado, Chico Buarque, Tom Jobim, Luiz Gonzaga, etc) terá como pilares o bem comum, a justiça social, a liberdade, a democracia, a independência dos poderes e a convivência fraterna e pacífica entre os povos e as nações que a comporão. E mais: essa unidade será construída de baixo para cima pelas novas gerações. Quem viver verá! ps: e Pernambuco estará na vanguarda deste processo. Aliás, já está.

* Publicado no Jornal do Commercio, 30-12-2014, Opinião JC, página 8.

Obs: O autor, Prof. Dr. Aurélio Molina, Ph.D pela University of Leeds (Inglaterra) é membro das Academias Pernambucanas de Ciências e de Medicina, professor da UPE, Coordenador do Programa Ganhe o Mundo.

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I