Por ocasião da celebração dos 40 anos de seu Martírio

Seu filho Santinho relata: meu pai era um camponês que compreendeu seu lugar no mundo e para reivindicar direitos organizou o sindicato; por isso, foi expulso da terra e foi trabalhar como boia-fria já marcado pelo patrão como “elemento perigoso”; tornou-se metalúrgico e, movido por sua fé evangélica, meteu-se na luta de bairro, na luta sindical e na luta operária; foi morto covardemente pela polícia militar de SP, no dia 30/10/1979, tentando conversar sobre o legítimo direito de greve por direitos.

  1. Repetiu-se o que aconteceu com os primeiros cristãos: o sangue do mártir virou semente de novos militantes que se mobilizaram num imenso protesto. O governo tentou meter medo, ofertar carro de bombeiro, caixão de rico… o povo conduziu seu Santo nos braços. Toda a família segue com orgulho do Pai para não deixar morrer seu sonho que deve ser o sonho de toda a classe oprimida.
  2. Vinicius de Morais em seu poema “Operário em Construção” descreve bem o processo de como um simples operário em construção deixa de ser só força de trabalho para ser Classe trabalhadora, Ator Político na sociedade: quem sempre dizia sim, aprendeu a dizer não à manipulação, à exploração…
  3. Ato político, não é evento, senão é só um incêndio que só deixa cinzas. Este ato é a celebração de uma trajetória que tem antecedente de luta, que luta hoje, e se compromete com sua continuidade.
  4. Fazer sua Memória não é ritual ou saudosismo – é atualizar o compromisso com a causa da vida e a indignação contra toda forma de injustiça e por conquistas e as mudanças, em nós e no mundo.
  5. Martírio nunca pode ser um objetivo, é consequência de quem luta pela vida e doa até a própria vida para que o povo não seja martirizado. Heroi ou santo tem sido uma forma de esvaziar sua radicalidade.
  6. A História de Santo Dias não é uma data, serve para recordar (passar de novo pelo coração) as inspirações que nos movem e para reanimar a nós mesmos e as novas gerações, a construção da felicidade.
  7. Nosso compromisso só pode ser retomar a luta de transformar, pela raiz, a sociedade capitalista. Que não basta melhorar de vida. O capitalismo não quer que todos tenham vida em abundância. Por isso, nossa pátria é outra, lá tudo será repartido em comum, conforme a necessidade de cada um.
  8. A comemoração é para dizer que não estamos mortos: somos combatentes de uma causa invencível. Resistimos para sobreviver e para reafirmar nossas certezas e perseverar na espera do verbo esperançar.
  9. Santo nos convoca à unidade diante do inimigo poderoso; de descobrir o que nos une e evitar toda briga intestina, sectarismo, personalismo, vaidades… na família, nas organizações, na sociedade.
  10. A memória de Santo Dias acontece em meio da mobilização da Pátria Grande Latino-americana clamando por solidariedade frente a brutal repressão de governos conservadores e neoliberais: Chile, Equador, Bolívia, Uruguai, Argentina… p r e s e n t e s!! El Pueblo unido jamás será vencido!!

30.10.19

Obs: Imagem enviada pelo autor.

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I