É o tempo do exílio. Muita saudade da terra querida de Israel.
Três jovens que não querem se adaptar na Babilônia, são jogados na fornalha,
porque o ditador não permite saudosismo.
O profeta Daniel nos conta a cena no cap 3, 25 em diante.
Azarias, um dos três, faz a seguinte oração:
Sêde bendito e louvado, Senhor Deus de nossos pais. Tudo o que nos infligiste foi por causa de nossos pecados. Pecamos, erramos, afastando-nos de ti. …Não observamos as leis que nos destes para a nossa felicidade. Foi um justo julgamento que fizeste, mesmo entregando-nos nas mãos dos inimigos injustos, de ímpios enfurecidos, às mãos de um rei, o mais perverso de toda terra. Agora não ousamos nem mesmo abrir a boca: vergonha e ignomínia para os vossos servos e a nós que vos adoramos. Pelo amor de vosso nome, não nos abandoneis para sempre. Não destruais de modo algum vossa aliança. Não nos retireis vossa misericórdia, em consideração a Abraão, vosso amigo, Isaque, vosso servo, Israel, vosso santo, aos quais prometestes multiplicar a descendência como as estrelas do céu e como a areia do mar.
Senhor, fomos reduzidos a nada diante das nações, fomos humilhados diante de toda terra: tudo devido ao nosso pecado. Hoje já não há nem príncipe nem profeta, nem chefe, nem holocausto, nem sacrifício, nem oblação, nem incenso. Que este sacrifício de mãos vazias possa nos reconciliar convosco. É de todo coração que vos seguimos agora. Tratai-nos com vossa habitual bondade. Ponde em execução vossos prodígios para nos salvar.

 

Quais são os pontos que podem iluminar a nossa humilhação,
nos dias que vivemos, com uma fornalha do tamanho da Amazônia?
– estamos desterrados na própria pátria – dentro do nosso país
– foi por causa de nossos pecados – nossa cegueira que não viu o perigo
– foi um justo julgamento, é o que merecemos – mas nem todos
– fomos entregues nas mãos de nossos inimigos – que não era difícil identificar
– o rei mais perverso de toda terra – que não esconde as unhas
– não ousamos abrir a boca – cadê os protestos?
– vergonha e ignomínia, é o que nos resta
– a nós que vos adoramos – o apoio veio dos templos, dos adoradores
– não destruais vossa aliança – apelo a Deus, que não desiste de nós
– em consideração a Abraão, Isaque e Jacó – por amor aos profetas de hoje
– olha tuas promessas – as tuas são eternas, mas as nossas?
– somos reduzidos a nada – diante dos G-Sete
– por causa de nosso pecado. Sim, ignorância é pecado.
– Hoje já não há nem príncipe nem profeta
– Já não há nem sacrifício, nem oblação, só tem as mão vazias
– Não há mais incenso, a não ser fumaça de fogo
– É de todo coração que vos seguimos, os tres jovens que sobraram
– Ponde em execução vossos prodígios, Deus não vai atrás de merecimento

 O que caracteriza a prece de Azarias?

 1. Tristeza e lamento
Não tem jeito de esconder. Decepção profunda com o presente momento.
Onde está Deus? Tristeza tem algo de bom? Sim, obriga a pensar.
Jesus chama de bem aventurados os que choram.

 2. Memória
Tivemos bons tempos com Deus.
As grandes obras de promoção humana, nos nossos dias.
Penso nas maravilhas de outrora…

 3. O coração contrito
Reconhece a própria culpa.
Procura abrigo junto a Deus.
Sentimento de pobreza diante do Criador.

4. Fé
Tu és o Deus que fazes maravilhas.
Tu tornaste teu nome conhecido entre as nações.
Os pobres respiraram aliviados.
Libertaste o teu povo com mão forte.

5. Oração suplicante e confiante
Tu, porém, aceita-nos.
Chegamos com o coração contrito.
Nossa súplica seja como os holocaustos de antigamente.
Quem em ti confia, não será confundido.

6. Nova conversão
Nós te seguiremos agora de todo coração.
Com respeito procuramos vossa face.
É obediência que queres e não sacrifício.

Obs: O autor é Frade Franciscano, nasceu na Alemanha em 1940.
Chegou ao Brasil como missionário em 1964. Depois de completar os estudos em Petrópolis atuou no Piaui e no Maranhão. Exerceu trabalhos pastorais nos anos 80 em meio a conflitos de terra. Desde 1995 vive em Teresina no RETIRO SÃO FRANCISCO onde orienta pessoas na busca da vida espiritual.    



busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposioDesenhos

Srie "Natureza"

Srie Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Srie "Detalhes"

Srie "MoradaImprovisada"

Srie Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Srie Flores

Srie Flores

Esporte na Colnia

Srie Natureza 01

Srie Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomerao...

Porto florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunio privada...

Espaos ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergncia II

Convergncia I