http://institutodomhelder.blogspot.com.br
domdapartilha@gmail.com

Meus queridos amigos

Quando digo à sombra que sem ela a própria luz perderia muito de seu encanto, quando afirmo que amo as noites negras que carregam, no seio, as madrugadas, quando sustento que aprendo humildade com a sombra — tão dócil, tão sem travo, tão simples em sua vocação de segundo — a sombra sempre imagina que falo assim para encorajá-la… Sabem o que eu chamo de vocação de segundo?

 É o caso, por exemplo, de São João Batista. Claro que foi honra extraordinária ser escolhido pelo Pai para preparar os caminhos para o Messias, para o Filho de Deus, que se fez homem para salvar-nos…

Mas, de qualquer modo, embora às margens do Jordão, com o seu batismo de penitência, tenha vivido dias de esplendor, ele mesmo declarou que vinha apenas anunciar a vinda de alguém de quem ele não merecera sequer desatar as correias das sandálias. Seu testemunho do Messias mostrou o Cordeiro de Deus e apagou-se. Sumiu, uma vez cumprida a sua missão.

Vocação do segundo foi também a de São José. É verdade que foi glória imensa ser, junto ao Filho de Deus, o representante direto do Pai. É verdade que foi escolhido pelo Pai para protetor de Nossa Senhora e do Menino Deus. Mas, na Casa de Nazaré, embora ele tivesse o papel de chefe de família e de pai, era o menor dos três.

Quem se sentir na vida em missão de segundo ou de segunda, viva, feliz, sua missão, tendo no pensamento e no coração exemplos como o de São José e de São João Batista. Há tias que se apegam tanto aos sobrinhos e a eles se dedicam tanto que, de certo modo, 308 são mais mães do que as próprias mães das crianças… Mas mãe é mãe.

E tia é tipicamente vocação de segunda. Há chefes de serviço, diretores de repartição, ministros, chefes de Estado que têm colaboradores de absoluta confiança e de enorme competência.

Acompanham os assuntos, vivem os problemas. Preparam relatórios, discursos, mensagens, que causam a melhor impressão. Os aplausos, os louvores são para o número um, para o primeiro. O colaborador, com vocação de segundo, que se alegre na sombra, que vibre por tabela… Servir sem subserviência, longe de ser desonra é imitação de Cristo que declarou, abertamente, que não veio para ser servido, mas para servir! Sábado, 16.5.1981

Obs: *Mais uma das crônicas escritas por Dom Helder Camara para o seu programa de rádio UM OLHAR SOBRE A CIDADE, exibido na rádio Olinda às 06h55 de 01 de abril de 1974 a 22 de abril e 1983. Está crônica está publicada no livro “Meus Queridos Amigos”, que reúne 200, das centenas de crônicas lidas por Dom Helder ao longo dos nove anos de duração do programa. 

 Imagem e texto enviados pelo IDHEC – Instituto Dom Helder Camara
. Ver AUTORIZAÇÃO do IDHEC no item OBRAS LITERÁRIAS.

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I