Gerson F. Filho 1 de fevereiro de 2019

gersonsilva@globo.com

Existem momentos que nos levam a pensar com seriedade o quanto pode ser maleável o discernimento humano. A compreensão do que é certo ou errado. Normalmente todos dizem prestar apoio ao bem, será verdade mesmo? Vejamos: indivíduos são aprisionados por motivos ideológicos, seu crime; pensar diferente de um sistema. São torturados e sob a mais completa indiferença internacional resolvem então fazer greve de fome. Morrem, e por mais inverossímil que pareça há gente que pensa que eles estão errados. Estão errados por pensar diferente. Por não concordarem com uma ideologia.  Essa gente aceita se sujar com um crime, a se tornarem criminosos e assim abraçados ao arbítrio assinam o compromisso com um assassinato.

Tomar conhecimento de uma ilegalidade, de um crime ou de qualquer atitude antiética e não se posicionar contra, transforma esse alguém em cúmplice de tal processo em curso ou já realizado. Seja no caso da repressão a opositores políticos ou o acobertamento de casos de assédio sexual a crianças. Não há como fugir desse compromisso. Se souber e não tomar atitude contra ou pelo menos se manifestar contrário a ela, passou a ser um criminoso também. E atitudes assim acabam por incentivar àqueles que têm o mal no coração. Hoje vi nos noticiários professores em São Paulo queimando livros. Será que estes “mestres” têm noção do que estão fazendo?

Queimar livros foi uma das idéias de um dos regimes políticos mais monstruosos que já existiu neste planeta. Essa atitude partindo de professores é inconcebível. Eles, não podem alegar ignorância a respeito deste gesto. Que tipo de gente estamos cevando nestes nossos tempos? Estamos caminhando a passos largos para uma situação intolerável. Se quem dá aula está no limite inferior da civilização, como serão os alunos que são guiados por essa cepa maligna? Se o objetivo destes elementos era chamar a atenção para uma causa, eles conseguiram! Queimaram de vez o filme da categoria e de qualquer pessoa que eles apóiam. Porque pela simples lei da associação, o procedimento deles vai colar em quem se manifestar favorável a essa insanidade, e se houver silêncio, o ditado popular já diz: quem cala consente.

Terá sido por puro desespero? Haverá aflição nestes corações pelo fim de uma época? Se for verdade deveremos esperar por muito mais, deveremos aguardar por uma enxurrada de atitudes insanas por parte daqueles que pressentem a derrocada de um ideal que julgaram eterno. Mas, tropeçou nos devaneios e atitudes tresloucadas daqueles em que depositaram sua confiança. Para essa gente posso dizer que; caso percam a eleição, a democracia, aquele regime que eles tanto odeiam vai permitir por processo eletivo à volta ao poder. Isso poderá ser saudável para eles. Como acredito na recuperação do indivíduo, talvez; quem sabe eles reciclem sua ideologia e assim a transformem em algo mais humano. Na verdade por processos químicos e biológicos é possível transformar esgoto em água de boa qualidade.



busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposioDesenhos

Srie "Natureza"

Srie Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Srie "Detalhes"

Srie "MoradaImprovisada"

Srie Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Srie Flores

Srie Flores

Esporte na Colnia

Srie Natureza 01

Srie Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomerao...

Porto florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunio privada...

Espaos ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergncia II

Convergncia I