Dasilva 15 de fevereiro de 2019

  1. O mundo sofre uma crise de hegemonia. A disputa central (econômica, política e ideológica) é entre China e EUA. Olhando a produção, importação/exportação, dívida dos países e possível desdolarização, se vê a deslocar-se, em favor da China.
  2. Essa ameaça causa impactos: a busca voraz dos EUA em controlar a América Latina e Oriente Médio; o efeito da dependência da maioria dos países latinos (importação, exportação, moeda). O controle geopolítico dos EUA de seu “quintal” histórico, onde se abastece de para seu desenvolvimento. Por isso, tentam controlar governos e estados nacionais como alinhados servis e os forçam a fazer reformas (fiscal, previdenciária, trabalhista, sindical…).
  3. Tudo isso cria a nova reconfiguração regional: a) alinhamento ao império diante da ofensiva, até pelas armas; b) derrota e mudança estratégica – do acúmulo de força para resistência e sobrevivência; c) reversão das alternativas de integração; d) fim de ciclo de governos populares e alternância no poder.
  4. Na economia, volta a recolonização – controle dos recursos naturais: petróleo, água, mineração, florestas, biodiversidade …. Na política conformação de blocos submissos ​​e o fim de blocos alternativos (UNASUR …) O império não hesita em apoiar “golpes suaves”, democracias autoritárias e intensa batalha ideológica que desmoraliza lideranças e esmaga a oposição.
  5. Esse pacote se justifica no fundamentalismo religioso e no moralismo conservador e vem sustentado pelo sistema legal, pela mídia e por militares que voltam ao poder (mais de 60 no primeiro escalão do governo). A consequência para o povo é trágica: perda de direitos, precarização do trabalho, desespero, migração, repressão, eliminação política e física … novos mitos e novas ilusões.
  6. Os limites dessa reconfiguração: a. O capital não pode (nunca se propôs) dar respostas às demandas econômicas e sociais do povo; b. A conflitividade produzida pelas contradições geram resistências e o surgimento de novos atores; c. As elites não têm referentes confiáveis capazes de unir a nação, além das muitas divergências no topo.
  7. Mas, a ofensiva de capital também foi possível porque: a. o campo popular abandonou a estratégia de mudanças estruturais, mesmo quando seus governos tiveram correlação e seguiram na lógica eleitoral (ou eleitoreira?); b. A fragmentação do movimento popular (personalismos, vaidades …); c. elitização e desconexão das lideranças com suas bases e a quebra da aliança com o povo; d. muitas organizações nem perceberam que há uma mudança na ação do capital e nem tampouco fazem autocrítica de seus erros.
  8. Em resumo, vivemos tempos desfavoráveis, com a ofensiva do capital que dá golpes sucessivos, impõe “democracias autoritárias”, com “apoio popular”. Tal situação força entidades e movimentos, comprometidos com a transformação social, a se colocar em um “estado de resistência ativa” (retirada tática).
  9. Recuo tático hoje é estimular ou promover: a. Iniciativas para sobreviver e salvar vidas; b. esforços de estudo sobre a realidade social; c) irradiação de processos legítimos de luta e organização ligados à produção e ao trabalho que atuam no urbano e nas bases, sobretudo, mulheres e jovens … por serem atores que, hoje, podem incidir na realidade social.
  10. Estimular Centros ou grupos de educação política e capacitação que integram em seus currículos a dimensão econômica, política, ideológica, técnica e cultural a fim de qualificar e renovar líderes que sejam capazes de desconstruir as novas formas de imposição de ideologias e capazes de aprofundar a reação, num processo de longo prazo e com o horizonte de um projeto político.(fevereiro de 2019)
    Obs: Imagem enviada pelo autor.
Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I