Neste Tempo Pascal que vai até Pentecostes, contemplamos o que rezamos no Credo:

…foi crucificado, morto e sepultado, e DESCEU AOS INFERNOS para libertar os cativos.

O Evangelho não nos revela nada sobre a descida de Jesus aos infernos, mas Santo Agostinho nos descreve um verdadeiro drama:

Jesus, assim que morreu, desceu para o fundo da Mansão dos Mortos. O Senhor se aproximou dos Infernos com grande brilho, como quem quer roubar as trevas. O exército infernal se assustou com o fulgor e ficou nervoso: Quem é o Forte e Terrível, cheio de Luz e Esplendor? O mundo a nós submisso nunca nos mandou um morto assim. Nunca deu ao Inferno tal dádiva. Quem é que entra no nosso domínio sem susto assim? Quem é este que não teme nossos castigos e até liberta os cativos das nossas prisões? Vêde como os presos fazem mangação de nós, porque chegou o Salvador. Os que gemiam debaixo do nosso poder já não têm medo dos carcereiros e até nos ameaçam. Nunca se viu tal arrogância entre os mortos e tal alegria entre os presos. Ai de nos. Quem nos trouxe o Terrível? Satanás, nosso Príncipe, toda a tua alegria se foi, e teu poder se converteu em aflição. Porque, quando suspendeste o Cristo na Cruz, não adivinhaste o prejuízo que darias ao Inferno.

Depois destes lamentos dos criados infernais, nosso Senhor ordenou que as portas da morte se abrissem. Os ferrolhos se quebraram, e saiu o Povo dos Santos que ninguém pode contar.

Cairam aos pés de Jesus, exclamando: Vieste em fim, Salvador do mundo? Há tanto tempo te esperamos! Prende o diabo em seus próprios laços e eleva-te ao Alto com a presa que ao inferno roubaste.

Num livro chamado EVANGELHO DE NICODEMOS lemos ainda que os filhos do Velho Simeão, chamados CARINO E LÚCIO, ressurgiram com Jesus e apareceram a Anás , Caifáz e Nicodemos. Estes então pediram que contassem tudo o que Jesus tinha feito na Mansão dos Mortos. Os irmãos contaram: Quando estávamos sentados com nossos antepassados e patriarcas, apareceu um brilho de ouro e uma luz mais forte que o sol. Quando Adão viu aquilo, muito se alegrou e falou: Eis o brilho daquele que é o Autor da Luz e nos prometeu mandar o seu fulgor. Isaías exclamou: Esta é a Luz do Pai, o Filho de Deus, do qual profetizei na terra: O povo que jaz nas trevas viu uma grande luz. Depois veio nosso Pai Simeão e falou com imensa alegria: Louvai a Deus. Eu tomei o Menino Deus nos braços, quando fui ao templo, e o Divino me inspirou a dizer: Agora meus olhos já viram a salvação que preparastes para todos os povos: Luz para as nações e glória do nosso povo de Israel.

Depois levantou-se um homem parecido com ermitão, a quem perguntamos pelo nome. Ele falou: Eu sou João que batizou Jesus e caminhou na sua frente para preparar sua estrada. Eu apontei para ele, dizendo: Eis o Cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo! Descí até vós para anunciar que sua chegada está próxima.

Falou então o filho de Adão, chamado Seth: Quando um dia bati n porta do Paraíso e pedi ao Senhor que me desse o óleo da misericórdia para ungir o corpo do meu Pai Adão que estava doente, apareceu o Arcanjo Miguel e falou: Larga o choro e não vá atrás do óleo da Misericórdia, que não lhe será dado antes que passem 5 500 anos.

Quando os Patriarcas e Profetas ouviram aquilo, alegraram-se imensamente. Mas Satanás, o Príncipe e Senhor da Morte, falou para todo mundo: Preparai-vos para receber Jesus. Ele se diz Deus, mas é um simples mortal, pois ele temeu a morte, quando falou: Minha alma está triste até a morte. Ele curou a muitos que eu havia entortado, e endireitou os que eu tinha aleijado.

Então responderam os demônios: Mesmo que ele tenha tremido, mas é verdade que resistiu ao teu poder. Ele quer te enganar dizendo que teme a morte, para te pegar nos teus próprios laços e te infligir eterna derrota. – Respondeu Satanás: Eu o tentei e agitei o povo contra ele.

Fiz ponta na lança e misturei fel com vinagre. Eu preparei a cruz: Ele é Meu! Não vou demorar para buscar minha presa. – Responderam os demônios: Não foi ele que ressuscitou a Lázaro que já estava seguro nos nossos braços? – Sim, é ele mesmo, disse Satanás. Responderam os criados infernais: Pelas nossas e tuas forças te pedimos que não o tragas para cá. Pois ouvimos a Palavra do seu comando e estremecemos tanto que nossos braços já não podiam segurar a Lázaro. Ele se debateu que nem uma águia e voou.

Enquanto assim debatiam os demônios, veio uma voz de trovão que bradava: Ó Príncipes, abrí vossos portões, destrancai-vos, portas eternas, que o Rei da Glória quer entrar. – Logo os demônios correram nervosos a fechar os portões com ferrolhos pesados. E Daví falou assim: Foi isto que profetizei: Ele quebrou os portões de bronze e despedaçou os ferrolhos! – Nisto tornou a bradar a mesma voz: Levantai-vos, portas eternas! – Quando o inferno ouviu a voz, perguntou, como se não soubesse: Quem é o Rei da Glória? – Respondeu Davi: É o Senhor, forte no combate, é ele o Rei da Glória!

Nisto chegou o Senhor, cheio de Luz, e clareou as trevas. Estendeu o braço e tomou Adão pela mão direita, dizendo: A paz esteja contigo e com todos os justos, meus filhos. – Assim nosso Senhor subiu dos infernos e todos os Santos com Ele. Conduziu Adão pela mão e o entregou ao Arcanjo Miguel que o levou ao Paraíso. Grande foi a surpresa dos Santos, quando lá encontraram dois anciãos: Quem são vocês que não morreram e habitam no Paraíso? Respondeu o primeiro: Eu sou Enoque que para cá fui transferido, e este é Elias que subiu ao céu num carro de fogo. Ainda não sentimos o gosto da morte e fomos guardados para o dia do Anticristo: contra ele combateremos e por ele seremos derrotados, para subir nas nuvens depois de tres dias e meio.

Nisto veio um homem que carregava o sinal da cruz nas costas. Perguntaram a ele: Quem és tu? Ele respondeu: Eu sou o ladrão que com Cristo foi crucificado. Eu pedi: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu Reino. E ele me disse: Ainda hoje estarás comigo no Paraíso. Ele me deu o sinal da cruz, dizendo: Com isto te apresentarás no Paraíso. E se o anjo não te deixar entrar, aponta para a cruz, dizendo: Foi o Cristo crucificado que me mandou! Assim eu fiz. O anjo me abriu, me conduziu ao paraíso e me mandou sentar à sua direita.

Carino e Lúcio, depois de darem este testemunho, logo se transformaram e desapareceram.

Jesus desceu aos infernos e deu alegria aos cativos.

O povo de São Manoel celebrou a quaresma e lutou com Jesus contra os grilhões da escravidão. Vendo alguém que juntava todo o côco Babaçu sozinho sem deixar nada para os necessitados, cairam por cima dos montes e quebraram com 60 machados todo o egoísmo daqueles que só pensam em si. Depois queimaram o barraco odiado, onde as mulheres entregavam a metade do suor. Neste dia o inferno estremeceu. Como diz Santo Agostinho: Os que gemiam debaixo do nosso poder estão fazendo mangação de nós! – A intimação não intimidou o povo. A polícia chamou 4, mas vieram 85. No dia 22 de março, véspera do Dia de Ramos, Jesus antecipou sua entrada em Lago dos Rodrigues. O povo da feira se admirou com aquela gente que marchou em procissão para a Delegacia. Lá estava aquele que queria ver o povo humilhado, mas foi ele que ficou aflito: Os que gemiam, já não tem medo de nós! – O Delegado perguntou: Cadê os quatro intimados? – Somos todos nós! – Quem quebrou o côco? – Todos nós! – Quem queimou o barraco? – Todos nós! – A ordem do inferno ficou desmoralizada: Estão todos liberados. Vão para casa! – Foi então que o Hosana ecoou pela rua. Mas teve também quem dissesse: Não deviam quebrar o barraco da mulher! Ao que alguém respondeu: Você tem pena de um velho barraco, mas não tem pena, quando eles queimam até casa de familia, como os fazendeiros estão fazendo. Teve gente que gritou: Bendito aquele que vem. Seja como for: Quando Jesus desceu aos infernos, alguns tremeram de medo e outros choraram de alegria.

*Abril de 1986

Obs: O autor é Frade Franciscano, nasceu na Alemanha em 1940.
Chegou ao Brasil como missionário em 1964. Depois de completar os estudos em Petrópolis atuou no Piaui e no Maranhão. Exerceu trabalhos pastorais nos anos 80 em meio a conflitos de terra. Desde 1995 vive em Teresina no RETIRO SÃO FRANCISCO onde orienta pessoas na busca da vida espiritual.



busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposioDesenhos

Srie "Natureza"

Srie Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Srie "Detalhes"

Srie "MoradaImprovisada"

Srie Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Srie Flores

Srie Flores

Esporte na Colnia

Srie Natureza 01

Srie Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomerao...

Porto florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunio privada...

Espaos ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergncia II

Convergncia I