Como o senhor bem compreende, nós, seres humanos, somos fracos e vulneráveis. E um competente programa de lavagem cerebral em massa, com ajuda estrangeira (diviti et impera), baseado no medo, ódio, preconceito, desinformação e na mentira sistemática, foi posto em prática, “sequestrando e escravizando” milhões de corações e mentes. Essas técnicas sempre funcionaram na história da humanidade. Mas nunca na escala, intensidade e velocidade que está ocorrendo por aqui, talvez reflexo das novas tecnologias de comunicação. E o senhor também sabe que o “pai da mentira” tem muitas faces e atende por muitos nomes. Pois ele está aqui e agora, encarnado numa pessoa despreparada (sob qualquer métrica utilizada), pregando o oposto do que o nosso Senhor Jesus Cristo defendeu e vivenciou até as últimas consequências. Ao invés de amar o próximo como a ti mesmo, ele prega o ódio ao outro e ao diferente. Ao contrário do perdão (“não sete, mas sete vezes setenta”) ele defende a tortura. E idolatra até mesmo aquele que não só a realizou como as fez na presença dos filhos dos torturados/as. Indo de encontro ao quinto mandamento ele defende a morte de milhares e apoia grupos de extermínio. Ao invés de não tomar o Santo Nome em vão ele o vulgariza e o utiliza até a exaustão. Em relação ao oitavo mandamento outra coisa não faz a não ser levantar falso testemunho esquecendo que não é o que entra pela boca que causa mal e sim o que sai por ela. Ao contrário do Mestre dos Mestres, que foi um exemplo de tolerância, não se escusando sentar à mesa com publicanos e “pecadores”, de pedir água a uma samaritana (inimigos/as históricos/as dos judeus) ou não julgando a mulher adultera (“quem não tiver pecado que atire a primeira pedra”), ele é a intolerância em forma de gente, condenando e agredindo a dignidade de todos que não pensam como ele. Sua família não é a humanidade, mas apenas seus fanáticos seguidores e adoradores. Ele não “alcança” Mateus 12 e Marcos 3 (“aqui estão a minha mãe e meus irmãos”) ou Paulo, em Gálatas, falando sobre a fraternidade e unidade da grande família universal de Jesus (“não há judeu nem grego, não há servo nem livre, não há macho nem fêmea, porque todos vós sois um em Cristo”). Seu indiscriminado preconceito e racismo atingem até mesmo a nossa mestiçagem racial e cultural, de que somos tão orgulhosos. Ao sofrido, mas altivo, povo nordestino ele mandou comer capim. Diante de uma das mais vergonhosas fraquezas humanas, isto é, a bestialidade, ele tripudia, ri e se deleita por ter tido relações sexuais com animais, no caso específico, galinhas. Nesses dias tão nebulosos não sai de minha mente as palavras do pastor luterano Martin Niemoller, alemão e prisioneiro nos campos de concentração nazistas por 7 anos: “Primeiro, os nazistas vieram buscar os comunistas. Mas como eu não era comunista, me calei. Depois vieram buscar os judeus. Mas como eu não era judeu, não protestei. Então, vieram buscar os sindicalistas. Mas como eu não era sindicalista, me calei. Então, eles vieram buscar os católicos. E como eu era protestante, me calei. Então, quando vieram me buscar, já não restava ninguém para protestar”. Em nosso atual contexto os “alvos” são os comunistas, petistas, “esquerdopatas” (todo/a cidadão/ã que não concorda com sua visão de mundo), gays, negros, índios, jornalistas, artistas, mulheres, principalmente as feministase, ultimamente, os nordestinos. Já, já, serão os católicos. Querido Papa Francisco, socorrei! Por favor, rápido! A barbárie bate à porta.

Publicado no jornal Diário de Pernambuco, 14-10-2018

Obs: O autor, Prof. Dr. Aurélio Molina, Ph.D pela University of Leeds (Inglaterra) é membro das Academias Pernambucanas de Ciências e de Medicina, professor da UPE, Coordenador do Programa Ganhe o Mundo

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I