www.dedvaldo.blogspot.com.br
domedvaldo4993@gmail.com

O 10 de maio de 1945 foi proclamado o Dia da Paz. Três dias antes, os aliados ocupavam Berlim e o governo nazista se rendia, sem condições. Era o fim da guerra na Europa. A Alemanha dividida entre as chamadas quatro grandes potências vencedoras da guerra: Estados Unidos, União Soviética, Inglaterra e França (?). Também a França, que fora invadida e fizera um pacto com o vencedor da hora, a Alemanha nazista…

Festa em todo o mundo naquele 10 de maio. Eu estava em Cajazeiras, na Paraíba, como clérigo assistente e professor no Colégio Salesiano Padre Rolim. Desfile escolar, concentração na praça principal da cidade,  discurso pelo Padre Bartolomeu de Barros Almeida SDB, vice-diretor do Colégio. Era a Paz…

          Mas era a paz, que enviava todo o poderio bélico, sobretudo americano, para o Oriente, contra o Japão. Mais raides aéreos sobre Tóquio, a linda capital japonesa, já quase toda destruída. Era a paz da bomba atômica, que no dia 6 de agosto daquele ano de 1945, destruiu em minutos a cidade de Hiroshima e três dias depois, fez o mesmo em Nagasaki, e ameaçava fazê-lo nos dias seguintes em mais oito cidades japonesas. Dia 15 de agosto daquele ano, o Imperador japonês aceitava a rendição incondicional, assinada diante do General Mac Arthur, americano, a bordo de um porta-aviões, por um general japonês, que caminhava com dificuldade, apoiando-se numa bengala.

Era a paz, ditada pelo vencedor bélico, que assumiu o governo do Império do Sol Nascente. Essa era a paz da guerra fria, do muro de Berlim, dividida em duas, como o restante da Alemanha. Era a paz das ogivas nucleares soviéticas, apontadas para as cidades americanas, com o nome estampado em seu bojo. A paz da guerra da Coréia, ainda hoje dividida em duas, a do Norte, comunista, e a do Sul, aliada dos Estados Unidos. A paz da guerra da Indochina, que se libertou do domínio francês e se dividiu em Laos, Cambodja e Vietnam, logo também dividido em dois, para ser o grande atoleiro dos Estados Unidos, metido numa guerra sem fim, sem sentido e sem objetivo, como tantas outras e outras, que se seguiram. Como essas duas últimas do Golfo Pérsico e a do pobre Afeganistão, que serviu apenas para mostrar ao mundo toda sua miséria e atraso. Essa é a paz do miundo, a paz das guerras.

E Jesus proclama: “Eu vos dou a paz, a minha paz. Não como o mundo a dá.” Como é essa paz de Jesus? É a paz do íntimo da consciência, a paz do homem consigo mesmo, a paz da ordem e da tranqüilidade interior. É a paz com os   irmãos, com todos os irmãos, a paz do amor, do perdão, da não-violência, a paz para os pobres, os ignorantes, os sem-força, os desprotegidos, os marginalizados de toda espécie pelo mundo. É a paz com Deus, na retidão da consciência, a paz dos que só procuram o bem, só estão preocupados em servir a Deus no seu irmão com fome, sem-terra, sem-teto, no menino-de-rua sem lar, sem escola, sem amor, os prediletos de Deus.

Essa é a paz verdadeira, que Jesus nos dá e o mundo não nos  pode tirar. É essa paz que o cristão ambiciona. É para essa paz que devemos lutar e sofrer cada dia. (16.05.13)

Obs: O autor é arcebispo emérito de Maceió.



busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposioDesenhos

Srie "Natureza"

Srie Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Srie "Detalhes"

Srie "MoradaImprovisada"

Srie Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Srie Flores

Srie Flores

Esporte na Colnia

Srie Natureza 01

Srie Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomerao...

Porto florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunio privada...

Espaos ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergncia II

Convergncia I