Desperto em fugas. De mim. Em variações, de ti. Ouço paz e me espalho por periferias.
Escuta a paz.
Mundo triste.
E os ruídos de corpos sombrios, implodidos, esquecidos, derretidos, explodidos. Das dilacerações de idéias, das diferenças esmagadas. Igual inalcançável.
Todos os tumores benignos, se ainda não são, um dia serão malignos. Questão de solidariedade.
Permaneço assim, desperto em variações de ti.
Quisera compor alguma melodia em ti.
Deito-me sobre o mundo, triste mundo.
Em mim, a sobra da espécie, o próprio sucumbir. Variações do fim.
Teu nome esquecido em alguma gaveta de meu sonho. Restou a mão estendida. Perdeu-se o gosto do viver e aquietou-se em nós um sabor de fel e melancolia.
Desperto liquefeito e encontro gestos inacabados.
Em ti, doem o olhar e a lágrima evaporada.
Triste e vasto mundo.
Nenhum anjo veio velar meu sono. Fui noite e não consegui amanhecer.
Haverá alguém para dizer meu nome?

aldocblog@gmail.com



busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I