Dasilva 1 de outubro de 2017

Quando um grupo se entusiasma por uma causa, seu desejo é que ela se propague. Um caminho, muito estimulado, é divulgar essa ideia aos quatro ventos esperando a adesão da multidão. Outro é crescer passo a passo, até atingir a massividade.

A lição aprendida da história atesta que propostas que nascem monstras, tendem a morrer e projetos que não crescem, também morrem. É certo que não existe receita, mas o intercâmbio reuniu várias afirmações de como fazer para semear um sonho.

  1. Uma proposta justa tem utopias, valores e se liga ao momento conjuntural. Cria raízes se um ator assume esse projeto e propõe um plano para sua implantação: seleção de agentes, metas quantitativas e qualitativas, recursos, prazos, acompanhamento…
  2. Um critério determinante para conseguir adesão e merecer investimento é a eficácia do projeto. Mas, para alcançar resultados úteis, concretos e duradouros escolhe apostar em processos exemplares, experiências que podem universalizar-se.
  3. Na exemplaridade se cruzam os resultados quantitativos e qualitativos, a eficiência e a eficácia, a dimensão local e a visão geral. O caso exemplar se irradia, em recriação contínua, conforme os tempos, ritmos, regiões … e causam incidência e impacto.
  4. Priorizar não é excluir, é selecionar pessoas e atores com potencial de multiplicação. É a limitação do leque de atendimento para concentrar esforços, tempo e recursos naquela parte que, sendo ponto de partida, tem como horizonte a inclusão do todo.
  5. O pressuposto desse caminho sem pressa e sem pausa, é iniciar do menor para o maior e fazer a volta. A força real que dá corpo a um grupo, não é a quantidade de pessoas que ele mobiliza, mas o número de grupos conscientes que organiza, na base social.
  6. A coordenação é o núcleo de referência que conduz e elabora estratégias, projetos, planos. E, por um processo de convencimento, orienta à militância que, por sua vez e criativamente, transmite à sua base, que produz ondas, até atingir a massa.
  7. A direção só é capaz de elaborar a mensagem porque ausculta o povo, tem clareza do rumo, conquista referência e cultiva a habilidade pedagógica. Esse processo vira correia de transmissão que ao repassar, se reforça e ao convencer, aprende e ensina.
  8. O método é o jeito de fazer um trabalho. O método popular vê a multidão como sujeito. Mas, primeiro, descobre e prepara pessoas com potencial (histórico, econômico, político) de arrastar o conjunto e, com elas, cria núcleos de pessoas eleitas pela confiança.
  9. Tal caminho desconfia da pressa, campanismo e megalomania e reforça experiências capazes de irradiar-se na multidão. O fermento na multidão cria ondas ao contrário: a massa desafia e se incorpora na base; a base cobra e se incorpora na militância.
  10. Assim, a direção coletiva forma o núcleo, que faz trabalho de base, que move a Nesse trabalho contínuo – político, de base e de massa – se constrói a luta que debate, organiza, resolve problemas, descobre militantes e implanta uma estratégia.

Em resumo. Um projeto para irradiar-se carece de direção e núcleos que fermentem uma base social – é a base que incorpora, irradia e espalha sonhos e projetos. Sem fermento o povo não descobre a raiz, nem a alternativa da opressão. Necessita de um método de atuar e um jeito de organizar o movimento que vai semear o sonho, expresso em um projeto, dentro de uma estratégia e com agentes dedicados e preparados.. (Dia 02 de Agosto/17.)



busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I