www.defesadafe.org

Todos nós sabemos que devemos tratar bem, cuidar e honrar o nosso pai e a nossa mãe. A Bíblia é bastante clara sobre isso e neste ponto a sociedade também segue a visão da igreja. Mas, e quanto ao tratamento que deve ser dado aos filhos pelos pais?

A Palavra de Deus não é de forma alguma omissa em relação a este assunto, e é sobre isso que iremos tratar no texto de hoje.

No capítulo 6 do livro de Efésios, o apóstolo Paulo trata um pouco sobre como deve ser regida essa relação. Sobre os filhos em relação aos pais, ele diz:

Filhos, obedeçam a seus pais no Senhor, pois isso é justo. “Honra teu pai e tua mãe”, este é o primeiro mandamento com promessa: “para que tudo te corra bem e tenhas longa vida sobre a terra”. (Efésios 6:1-3)

Paulo, citando o livro de Êxodo 20:12, lembra que honrar pai e mãe é o primeiro mandamento com promessa. Se honrarmos nosso pai e nossa mãe, tudo correrá bem e teremos vida longa sobre a Terra. Mas à este mandamento o apóstolo acrescenta:

Pais, não irritem seus filhos; antes criem-nos segundo a instrução e o conselho do Senhor. (Efésios 6:4)

O que Paulo está dizendo é que os filhos têm o dever de honrar os pais e que os pais têm o dever de não provocar a ira dos seus filhos. O relacionamento deve ser regido pelo respeito mútuo.

O relacionamento do pai com o filho não deve ser uma ditadura, nem tão pouco uma anarquia. Sobre os pais repousa a autoridade e isso deve ser intocável, mas trata-se de uma autoridade construída em amor e não em medo ou pavor.

Os filhos devem honrar seus pais como aqueles escolhidos por Deus para proteger, cuidar, prover e ensinar a Palavra de Deus, o caminho que leva à salvação. Enquanto que os pais devem ter paciência com os seus filhos, entendendo que eles não nascem sabendo de tudo e que muitas vezes é necessário falar com eles mais de uma vez sobre a mesma coisa até que eles realmente aprendam aquilo.

Os bons pais entendem que os filhos não são robôs criados para fazerem tudo o que eles desejarem, mas que eles tem uma personalidade. Que as crianças são pessoas em formação e que como tal devem ser ajudadas a descobrirem quem realmente são e o que Deus espera delas.

Os pais são aqueles escolhidos por Deus para segurar na mão do filho e ajudá-lo em sua caminhada. Os pais são os responsáveis por orientar seus filhos neste mundo segundo a Palavra de Deus, para que eles se tornem aptos a descobrirem suas habilidades e escolher o seu próprio caminho.

A relação do pai com o filho é um tipo do nosso relacionamento com Deus. O nosso Deus criador e todo poderoso é o nosso Pai e ele nos chama de filhos. Mesmo sendo um pai amoroso, sobre ele repousa a autoridade. Quando lhe entregamos o senhorio de nossas vidas  reconhecemos que Ele sabe o que é o melhor para nós e que Ele está no comando. Mas você já se deu conta o quanto Deus é paciente?

Você é capaz de dizer quantas vezes é necessário que Deus trate sobre algo novo com você até que você realmente se convença daquilo? Você é capaz de numerar a quantidade de vezes que Deus lhe recebeu com um abraço carinhoso quando você resolveu voltar para ele arrependido por não o ter obedecido?

Você é capaz de lembrar quantas vezes você desfrutou da proteção e do cuidado do seu Deus, o seu Pai, com a sua vida? Quantas vezes Ele não deixou faltar nada que lhe era necessário? Quantas vezes o Seu Espírito Santo lhe ajudou a entender melhor a Sua Palavra e a tomar uma decisão importante?

A relação de Deus para conosco se baseia no amor. E a relação dos pais com os filhos deve refletir essa relação de Deus para conosco, deve expressar esse amor. O livro de 1Coríntios conceitua bem o que é o amor de Deus. Vejamos:

O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca falha. (1 Coríntios 13:4-8)

A Palavra de Deus nos garante que o amor nunca falha. Se o amor do tipo de Deus é aquele que rege o relacionamento dos pais com os filhos, não será difícil para os filhos tratarem seus pais com honra. Pois assim como é fácil e até prazeroso para nós honrarmos o nosso Deus por causa de seu imenso amor por nós, ao andarmos no amor Dele dentro de nós (Romanos 5:5) para com os nossos filhos, a honra deles não será um esforço, mas uma graciosa e inevitável consequência.

Sejam abençoados,

Obs: Imagem enviada pela autora

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I