Dom Helder Camara 15 de junho de 2017

http://institutodomhelder.blogspot.com.br
domdapartilha@gmail.com

Meus queridos amigos
Pensem em algumas das nossas árvores centenárias, por exemplo, pensem em alguma grande e bela mangueira e escutem esta meditação: Gosto de ver-te árvore centenária, cheia de rebentos e de ramos, como se fosse ainda adolescente… Ensina-nos o segredo de envelhecer assim: abertos a vida, a juventude, aos sonhos, como alguém que sabe que juventude ou velhice não passam de etapas para a eternidade.

Quando entramos no mês de junho, aqui no Nordeste, penso no teste de idade revelado pelos fogos de Santo Antônio, São João e São Pedro. Quando se é criança, os fogos são tanto mais formidáveis quanto mais barulhos fazem. Quem foi que não jogou fogos dentro de latas, para que o estouro fosse maior ainda?…

Quando chega a juventude, em geral, não se vai mais colocar fogos dentro de um regador, mas quanto aos estrondos, eles costumam ser plenamente entendidos e aceitos. Quando começa a irritação, quando se começa a dizer que não há tímpano que suporte, quando se explora o máximo o perigo dos fogos, mau sinal: a mocidade está fugindo e a rabugice chegando…

Tenho pena de nordestino que não sabe mais descobrir a beleza e a riqueza dos simbolismos dos balões. Tenho pena de quem, nos balões, só descobre perigo ou sinal de atraso e de provincianismo. Se eu pudesse ir soltar um balão em Paris, da Torre Eiffel, ou em plena 5a Avenida de New York…

Tomem um banho de juventude. Vejam com os olhos de ontem a soltura de um balão. Quando ele ganhar altura, reparem o cuidado com que os grandes aviões evitam atropelá-los e, sobretudo, reparem, com que simpatia e carinho, as estrelas e a lua acompanham a viagem corajosa dos balões, confiantes em sua marcha!

Tenho pena de quem vai desentendendo, sempre mais, os jovens de hoje. Há frases que cavam valados na direção dos jovens:

— No meu tempo não era assim!

— Logo você que faltou berço!

— Faltou chá em criança…

— Acabou-se a música para esta gente: é tudo no grito selvagem!

— Acabou-se a dança: é tudo na histeria da discoteca…

Atenção, queridos amigos menos jovens. Peçamos, de verdade, as mangueiras centenárias que nos ensinem a envelhecer, abertos a vida, a juventude, aos sonhos! Que nos ensinem, sobretudo, a não perder contato com os jovens de hoje, para que tenhamos a graça de conservar, no mais íntimo do íntimo, juventude perene!
Quarta-feira, 11.6.1980

Obs: crônica escrita por Dom Helder Camara, especialmente para o seu programa UM OLHAR SOBRE A CIDADE.
.Imagem e texto enviados pelo IDHEC – Instituto Dom Helder Camara
. Ver AUTORIZAÇÃO do IDHEC no item  OBRAS LITERÁRIAS.



busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I