edilrural@gmail.com
https://blogdopadresena.wordpress.com

Amazônia de insônia e sonhos que se realizam, quando filhos legítimos da mãe Amazônia, toma as rédeas da luta pela vida. Em Santarém nestes dias movimentos populares e povos indígenas fazem um ensaio de realização do sonho. Para cuidar da defesa do território urbano cobiçado por empresas desejando construir portos graneleiro, eles ocuparam a prefeitura na cidade por três dias. Isto porque, em reunião anterior com empresários, o prefeito assumiu compromisso de favorecer a entrada de empresas que gerem emprego e renda para a juventude e os desempregados. Hoje, ele aceitou dialogar com os insurgentes na câmara de Vereadores, que em sua maioria também apoiam a entrada de empresas portuárias na cidade.

Ouvindo os duros questionamentos dos líderes populares, o prefeito aliviou seu discurso, dizendo que só aceita novos empreendimentos em Santarém se respeitarem as leis.

Notícia vinda de Roraima falou de um parlamento amazônico que está funcionando e algumas pessoas de Boa Vista assumiram a direção da entidade. Segundo um deles, o setor produtivo da Amazônia enfrenta graves entraves como, leis rígidas ambientais, insegurança fundiária, muitas terras indígenas. Esta é a Amazônia para eles, o setor produtivo de grãos de gado, de madeiras e minérios.

Em Santarém os movimentos populares enfrentaram o prefeito, que se saiu sem assumir claramente que vai contra os projetos de portos graneleiros dentro da cidade. Porque se sente responsável em estimular o desenvolvimento, que para ele é geração de emprego e renda. Para os movimentos populares e povos indígenas significa, além de geração de emprego e renda, hospitais capacitados a atender a população, tratamento de esgotos, água potável diária e lazer.

Para atender parte dos questionamentos, o prefeito apelou para a universidade fazer um estudo dos impactos possíveis de tais projetos. Seria para ele saber se permite ou não. Como o tal parlamento amazônico, o prefeito de Santarém e seu vizinho prefeito de Belterra, usam semelhantes argumentos de busca de desenvolvimento, com geração de emprego e renda, sem medir consequências sociais e ambientais. Nem olham para espelho do município de Altamira, que aceitou a construção de Belo Monte. Durante a construção, teve mudança extrema na vida sócio econômica, mas hoje vive o caos de ser uma das mais violentas cidades do país, depois da hidroelétrica construída. Esta é a Amazônia em disputa, pelo capital e os filhos legítimos da terra.

Obs: O autor é membro da organização da Caravana 2016
 Coordenador da Comissão Justiça e Paz da Diocese de Santarém (PA) e membro do Movimento Tapajós Vivo.
Autor dos livros: Amazônia: o que será amanhã? (Vol I e II) e Uma revolução que ainda não aconteceu.



busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I