www.dedvaldo.blogspot.com.br
dedvaldo@salesianorecife.com.br

 Foi há cinquenta anos atrás, isto é, a 26 de março de 1967, que o beato Papa Paulo VI publicou sua Carta Encíclica Populorum Progressio         sobre o desenvolvimento dos povos, declarando que o desenvolvimento é o novo nome da paz e pedindo a todos os cristãos a se abrirem às necessidades dos povos do mundo inteiro. Sobre esse mesmo tema, seguiram-se depois dois pronunciamentos solenes dos Pontífices romanos: a Encíclica Sollicitudo Rei Socialis ( “A solicitude sobre a questão social”) de 1987, de São João Paulo II e a Charitas in veritate  ( “A caridade na verdade”) de 2009, do Papa emérito Bento XVI.

 Em 1969, Louis Even, diretor do movimento “Crédito Social”, que propugna em seu programa político-social uma Democracia Econômica – como eles chamam –  publicou na revista canadense VERS DEMAIN um artigo, agora republicado,  sobre como o crédito social seria  excelente forma de promover o homem todo e todos os homens, como deseja Paulo VI em sua encíclica de 1967.

Só assim, nesta promoção universal e integral do homem, é que o desenvolvimento humano será autêntico – diz Even. E cita o Papa Pio XI já em sua encíclica Quadragesimo Anno:  O organismo econômico e social será constituído sadiamente e atingirá seus fins, somente quando oferecer a todos e a cada um de seus membros todos os bens que os recursos da  natureza e da produção industrial lhes proporcionam.

Em termos ainda mais claros, se pronunciava o Papa Pio XII em sua rádio-mensagem de junho de 1941:  “Todo homem, enquanto dotado de razão, recebe da natureza o direito fundamental de usar de todos os bens materiais da terra; a economia nacional  não será outra coisa que assegurar sem interrupção as condições materiais, nas quais se possa desenvolver plenamente a vida individual dos cidadãos.”

Esses velhos princípios da ética social da Igreja adquirem hoje extraordinária atualidade, quando vemos em nosso país os ricos cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais pobres,  e quando contemplamos com pasmo e horror nossos líderes políticos saqueando o dinheiro público, que não pertence a eles mas sim à comunidade, para o bem de todos, começando pelos pobres e necessitados.

Que a Virgem Senhora Aparecida, neste seu tricentenário, abençoe a nação brasileira, proteja os deserdados da sorte em nosso país e faça com que os nossos homens públicos finalmente se ponham ao serviço do bem comum.

Obs: O autor é  arcebispo emérito de Maceió.



busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I