Mesmo quando o “melhor” espermatozoide, dentre os milhões ejaculados, encontra “o desejado” óvulo extrusado (o também “melhor” de dezenas de folículos desenvolvidos em cada ciclo ovulatório) são frequentes os erros incompatíveis com a evolução da gestação acarretando inúmeros abortos (clínicos ou imperceptíveis). São tão pouco incomuns que a cultura de alguns países “recomenda” o não compartilhamento social do “estado especial” da mulher antes da 12ª semana da gravidez. E o embrião que consegue ultrapassar este período crítico ainda pode vir a apresentar má-formação ou contrair infecções com graves repercussões (ex: Síndrome Congênita do Zika) fortalecendo a visão de que, apesar de ser natural e sublime, o ciclo grávido puerperal é um período de vulnerabilidade muito longe da perfeição e todo cuidado se faz necessário. Especificamente em relação às alterações anatômicas fetais, cirurgias durante a gestação (a “céu aberto” ou laparoscópicas) vêm sendo realizadas, desde 1981, para o tratamento de más-formações incompatíveis com a vida (intrauterina ou pós nascimento) ou naquelas que podem comprometer seriamente a saúde ou qualidade de vida do futuro nascituro. Atualmente, as indicações cirúrgicas mais frequentes incluem a obstrução do trato urinário, a síndrome de transfusão feto-fetal (em alguns casos de gemelares), a mielomeningocele (forma severa de espinha bífida), a hérnia diafragmática congênita, específicas anormalidades pulmonares (císticas) e cardíacas, a brida amniótica (quando a bolsa d’água “aprisiona” e pode “amputar” parte do feto) e os tumores da coluna sacra (teratoma) ou do pescoço (quando comprimem a traqueia). Os resultados mais auspiciosos são os do tratamento da mielomeningocele e os da transfusão feto-fetal, mas os riscos ainda são altos, tanto para mãe quanto para o feto. Entretanto, o recente caso da pequena Lynlee Boemer merece comemorações especiais, pois ela foi retirada do útero na 23ª semana de gestação, com apenas 530 gramas, submetida à exérese de grande tumor sacrococcígeo, recolocada na barriga de sua mãe e, após seu “segundo nascimento” (na trigésima sexta semana de gestação), se encontra (já com 4 meses de vida) bem e saudável. Sem dúvida, esta conquista da Arte do Curar e do Cuidar incrementa discussões bioéticas, incluindo as polêmicas relacionadas ao estatuto ético-jurídico do embrião e aos direitos do feto. Além disso, o ocorrido com Lynlee oportuniza reflexão crítica sobre uma passagem do Livro de Eclesiastes, texto sapiencial encontrado tanto na Bíblia Cristã quanto Judaica que, em seu capítulo 7, versículo 13, ressalta: “Atenta para a obra de Deus; porque quem pode endireitar o que ele fez torto?”. Bem, o caso aqui relatado, um verdadeiro “milagre laico”, reforça a importância de não se ter uma interpretação fundamentalista e literal dos textos bíblicos. Ou, pelo menos, de sermos cautelosos na sua exegese, pois graças ao livre arbítrio para exercermos nossa autonomia intelectual e inteligência fomos capazes de desenvolver uma Ciência e Tecnologia que, num estágio próximo do crescimento exponencial, estão cada vez mais capacitadas para resolver problemas que eram insolúveis e para ultrapassar barreiras antes intransponíveis. Que o Eterno nos ajude a utilizá-las apenas para o bem da humanidade!

Publicado no Diário de Pernambuco em 01/11/2016, página A2

Obs: O autor, Prof. Dr. Aurélio Molina, Ph.D pela University of Leeds (Inglaterra) é membro das Academias Pernambucanas de Ciências e de Medicina, professor da UPE e membro das Academias Pernambucanas de Ciências e de Medicina

*Ex-Secretário Executivo de Desenvolvimento da Educação de PE, Ex-Superintendente do Programa Ganhe o Mundo e Ex-Conselheiro Estadual de Educação.

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I