domseb sobre a analogia

sgameleira@gmail.com
domsebastiaoarmandogameleira.com

(Retalhos do Quotidiano)

Nossa maneira de representar Deus é sempre analógica. Só podemos falar d’Ele enquanto falamos de nós. Procedemos por semelhanças e imagens. Assim se faz por toda a Bíblia; assim falava Jesus: “O Reino de Deus se assemelha a…” Decerto, imagens são perigosas, podem pretender-se “ídolos”, na verdade, somos nós feitos deuses. É, porém, o único que temos para “pintar” as muitas faces da Transcendência. De qualquer forma, tem de ser assim, porque a Transcendência está, de fato, em nós, no maravilhoso fenômeno que é nossa liberdade.

A Deus aplicamos em sumo grau algo do que experimentamos e concebemos de nós e do mundo, algo que achamos em nós. Mas o próprio mundo – e nós mesmos(as) – não se dá a nós diretamente, nosso encontro com ele e conosco sempre acontece pela mediação da sociedade e da cultura em que estamos inseridos(as).

Ora, se é assim, grande parte do que dizemos de Deus depende do tipo de sociedade e de cultura em que vivemos. Não passam de projeção (Feuerbach, Marx e Freud tinham boas razões).O mesmo se diga da moral e da própria imagem que formamos do mundo. Neste quadro, para manter Sua transcendência, Deus precisa aparecer-nos (assim como a Ética) sobretudo como “horizonte” sem face definida ou limitada, mas com a força de meter em crise o presente, o “real”, e “chamar à existência coisas que não são” (Rm 4. 17),”escolher o que não é, para reduzir a nada o que é” (1Cor 2, 28). Quem é autoridade nisto são os pobres, aqueles e aquelas que são mendigos, é verdade, mas de olhos abertos (cf. Jo 9; veja neste blog meu comentário ao texto: “Da Cegueira à Visão).
Roma, 09. Maio, 1972

Obs: O Autor é Bispo Emérito da Diocese Anglicana do Recife
Igreja Episcopal Anglicana do Brasil – IEAB….

Imagem  enviada  pelo autor.



busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I