Os Desafios Da Construção Da Educação Do Campo e Camponesa
[email protected]

Pensar a educação do campo e camponesa exige se despir dos vícios e desvio construído pela educação tradicional, que reduz o conhecimento e a educação ao método formal e quadradinho que aliena o conhecimento e por se consequência às pessoas, inibindo a capacidade humana de pensar e repensar o mundo.

A educação camponesa nasce da informalidade camponesa, no saber construído e reproduzido socialmente na historia do campesinato, através da resistência e da insistência, do diálogo, da oralidade, da observação, das experiências erradas e acertadas, das inciativas inovadora que dialeticamente se constrói em cada momento histórico.

Pensar essa educação camponesa é mais que querer uma educação diferente, significa afirmar a identidade e ao mesmo tempo se projetar para a contrução de um projeto de campo. Por isso nossa educação tem que contrapor aqueles que nos oprime ela não dialoga com o agronegócio, que através do estado que se apodera das conquistas populares, inclusive das politicas publicas.

Quando falamos de educação do campo e camponesa, estamos dizendo que nossa escola deve ter compromisso com o projeto de sociedade que defendemos, que a educação deve formar os sujeitos para construção desse projeto. Para isso deve pensar a partir da realidade não apenas para realizar a atividades de maneira coletiva, mas no compromisso de interrogar o que esta errado,  com tarefa de provocar a organização e construção de ferramentas que possibilidade transformar a realidade.

Esse desafio não significa abandonar a luta por politicas publicas. Queremos escolas no campo, nas comunidades com infra estrutura, aberta e imponderada pela comunidade, aproximando o conhecimento sistematizado e  a oralidade camponesa construída milenar pelos povos.

Precisamos pensar da educação infantil a educação superior onde crianças e jovens são protagonista de sua própria historia.  Precisamos pensar na construção do homem e da mulher nova , mas ao mesmo tempo cuidar dos idosos e beber de suas experiências, na lida com terra, com trabalho, as crenças, as lutas , a cultura,  teimosia e desconfiança camponesa.

Nesse sentido não estamos apenas falando em acesso. Estamos indagando que tipo de educação queremos para as crianças e jovens estudar. Para qual modelo de campo? Qual modelo de sociedade? Que juventude queremos projetar ? É necessário romper com  educação que da poder apenas a quem tem títulos.  Podemos observar em nossa comunidades que tem famílias camponesas que produz agro ecologicamente, mas não sabem sistematizar através de sua escrita o que sabem. Por outro lado as uni verdades e escolas estão cheias de professores dando aula daquilo que não sabem e nem tão pouco defendem.

Nosso desafio é trazer os educadores para a luta e levar os camponeses para escola e universidades. Não apenas para aprender mais ,para ensinar o que os diplomados não sabem, por que estudaram em uma universidade que nega o saber popular e a sabedoria camponesa.

Vivemos em um país com muitas leis bonitas, conquistada pela lutas dos povos. Porém temos um sistema de educação fragmentado, município estado e união, onde as leis se contradizem e exige uma luta sistematizada pelo acesso aquilo que  é de direito.

Lutar pela escola camponesa é exigir do estado politicas publicas e ao mesmo tempo exigir o direto e autonomia do domínio popular sobre a politica pedagógica das escolas, o que ensinar? Como ensinar? Onde se quer chegar com o que se aprende? É necessário que a escola leve os camponeses para dentro, para falar da cultura, contar historia, ensinar os agrônomos e técnicos observar a natureza para construir a horta da escola.

Compreender que a horta não é apenas uma disciplina do professor de técnicas agrícolas, pois nela se pode trabalhar a ciência a matemática a, língua portuguesa a biologia a cultura a política. Nossa escola deve estar aberta a critica para não minimizar a educação camponesa aos métodos que ridiculariza a educação popular apenas em métodos participativos que não se compromete em transformar as coisas.

A educação camponesa é popular e tem compromisso de mobilizar, de problematizar, de organizar e de acreditar que as pessoas são capazes. Tem o dever de ensinar a técnica e compreender a politica comprometida com a ruptura com a construção do novo ser.

Não existe escola camponesa, sem luta permanente pela escola, pelo acesso a terra a agua, moradia, politicas publica , lazer, agroecologia, gênero, cultura. A educação não permite neutralidade, é preciso fazer como as crianças aprender brincando, não precisamos ter medo de afirmar que a educação politica. Ou ela esta com agricultura camponesa ou esta com agronegócio. Precisamos levar o jeito de ser camponês e camponesa para escola, juntamente com o jeito de organizar dos movimentos populares desafiando para construção de experiência de poder popular.

Obs: O autor é formado em pedagogia .” me sinto educador popular não sou funcionário público. sou camponês vivo na roça com minha esposa e 3 filhos aqui produzimos de um pouco de tudo. a pedagogia nos permite olhar o mundo de forma crítica e organizada.” 

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I