Com ruidoso, ensurdecedores, horripilantes, temerosos e, muitas vezes, já conhecidos bombardeios desumanos, acrescidos de fatal destruição de cidades e habitantes inocentes, aterrorizam regiões terrestres, sobretudo no Oriente Médio, onde os conflitos já lhes são quase compulsoriamente impostos.
          Esse é o espectro maldito e trágico da guerra!…
          E quais os motivos que levam os homens e se digladiarem e a se destruírem?
          A resposta é única e sempre a mesma: a megalomania, a prepotência, a ambição do poder. O poder econômico e o poder político são os principais. A distorção dos valores humanos, como a etnia, a exemplo da Alemanha de Hitler, na Segunda Guerra Mundial, a conquista ou reconquista de terras e talvez ainda, um pseudo-idealismo religioso levam os homens a se desentenderem e turvarem o maravilhoso e pacífico cenário com que o Criador dotou a nossa casa universal – A TERRA.
          Além de tudo isso, a violência, os crimes, os assaltos, as tragédias, as catástrofes naturais, como o tão mencionado EL NIÑO, as funestas perspectivas no limiar do terceiro milênio, as injustiças, a incompreensão e o desamor entre as pessoas, povos e raças levam-nos a acreditar na impossibilidade da PAZ.
          Mas “A PAZ É POSSÍVEL!…”
          Certa vez, foi afirmado na ONU, que se as guerras são preparadas na MENTE HUMANA, é aí onde se deve começar a construir a PAZ.
          Comecemos pela PAZ pessoal e interior, nascida no coração, espalhando em torno de si otimismo e bondade. E se for real, esta PAZ irradiar-se-á à sociedade, à Nação, raiando às dimensões mundiais.
          A PAZ é um valor sem fronteiras, afirmou João Paulo II.
          Somos todos irmãos, filhos do mesmo e único PAI.
         Chegamos a pensar muitas vezes que não há mais solução para este mundo e que tudo está perdido.
          Ainda em tempo de vestibular – Estanislau, vestibulando russo, tendo que opinar sobre o tema: na sua opinião, qual é a melhor solução para resolver as crises do mundo moderno?
         Sua resposta foi: os 10 Mandamentos.
         Aquele jovem respondeu acertadamente, consciente da essência do Decálogo que se resume numa só palavra – AMOR e que o mundo precisa de AMOR para desfrutar a PAZ.
          A preocupação dos responsáveis pelas guerras é fabricar, munir-se, armazenar e estocar arsenal sofisticado e numeroso.
            E nós, os que acreditamos na PAZ, dispomos incondicionalmente de uma poderosa e infalível contra ofensiva à guerra – a ORAÇÃO e o AMOR.
            Venceremos todas as batalhas e todas as guerras!…
            PAZ, anseio único de toda a humanidade e condição sine qua non para sua felicidade.
           Acreditamos, ou melhor, temos certeza de que a PAZ é algo tão profundo, tão transparente, tão decisivo, tão transcendental, tão quase divino, que o próprio Deus a usou como penhor de promessa de felicidade através dos anjos, quando esses entoaram “Glória a Deus nas alturas e PAZ na Terra aos homens por ELE amados”.
          Jesus várias vezes confortou-nos assim: eu vos dou a minha PAZ!… A PAZ esteja convosco!…
          O grande Santo de Assis assimilou tão bem a dimensão da PAZ, que na sua universalmente conhecida oração, pediu essa graça tão almejada ao PAI, em favor dos irmãos e assim cantou: fazei-me instrumento de vossa PAZ!
          Peçamos a PAZ!…
          Façamos a PAZ, descobrindo em cada irmão, pobre ou rico, preto ou branco, feio ou bonito, sábio ou ignorante, crente ou cético, patrício ou estrangeiro, santo ou pecador, ladrão, assassino, assaltante ou seqüestrador, a autêntica e divina imagem do nosso Salvador.
          E assim, “A PAZ – fruto da JUSTIÇA e do AMOR” reinará sobre os homens e sobre o mundo.

“A PAZ É POSSÍVEL”.

* Autora do livro – Retalhos do Cotidiano.
Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I