([email protected])

Elisabeth era impura,
Mas não tinha pecados.
Era simples e substantiva,
Pecados são sempre adverbiais.

Quando lhe nasceram os dentes,
Incisivos e de elegante postura,
Elisabeth, fingindo indolência,
Engoliu os mamilos de sua mãe.

Sem arrependimento,
Ficou a se perguntar,
Entre fria e distraída,
Por que não morrera de véspera?

Em idade ainda imprecisa,
Sentiu a falta de seu pênis
E procurou-o em gavetas e armários
Quase em estado de pânico.

Quando um dia se fez moça
Ficou em cores sua urina
Prenunciando acontecimentos,
Terremotos e catástrofes.

Quando se fez mulher,
Soprou no ouvido de Eva
Qualquer coisa de obscuro
Antes que a serpente se movesse

Ao bordar com suavidade
Um simples ramo de flores
Transformou-se em bailarina
E dançou como um cisne no seu lago.

Certo dia, ao acordar
Em átomos se explodiu
E sob o clarão do mundo,
Nasceram mil cogumelos.

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I