[email protected]

O judaísmo é uma das três religiões monoteístas e chamadas de “abraâmicas por ser centrada na fé no Deus Único, que teria se revelado ao primeiro dos patriarcas bíblicos que foi Abraão e que teve o seu chamado em torno do ano 1800 a.C. O judaísmo, no nosso tempo, tem deixado sua marca no Estado de Israel, que foi fundado em 1948 e contém uma população que beira os 6 milhões de um total de quase 15 milhões de judeus espalhados pelo mundo. Mas a metade deles vive nos Estados Unidos.

O judaísmo se caracteriza por ser uma religião intimamente aliada à história.As narrativas da Bíblia se baseiam numa crença bem definida de que Deus fez uma aliança especial, uma espécie de pacto com o seu povo escolhido, o povo hebreu.

Os judeus se caracterizam por ser um povo culto e marcado por uma perseguição que tem marcado a sua história. Na Espanha dos séculos XII e XIII eles alcançaram um apogeu. Nessa época um dos maiores filósofos foi o rabino Moisés Bem Maimon (Maimôdes)., que escreveu várias obras e resumiu os ensinamentos judaicos nos Treze Ensinamentos da Fé Judaica.

Contudo, desde a Baixa Idade Média até hoje eles vêm sendo perseguidos. Em diversos períodos a sociedade cristã os acusou pelo assassinato de Jesus e considerou o destino desse povo como uma punição – não é sem razão que o verbo “judiar” foi largamente utilizado como sinônimo de fazer o mal a alguém.A França e a Inglaterra os deportaram nos séculos XII e XIV. A Noruega tinha uma lei aprovada já em 1687, renovada na Constituição de 1814 , que negava o acesso aos judeus àquele país sem um permissão especial.

Sem dúvida, a última guerra, na Alemanha, foi o pior cenário que representou de forma cruel o que os judeus passaram na história. Por tudo isso, eles foram obrigados a adotar nomes facilmente reconhecíveis e a morar em áreas especiais das cidades em que residiam, isto é, a morar em guetos – hoje as “juderias” na Espanha são lugares identificados com o turismo, mas refletem, na sua gênese, essa situação de confinamento.

Uma das características da fé judaica é a expectativa messiânica. Durante milhares de anos eles esperaram um Messias que viesse criar um reino de paz na Terra.Essa esperança surgiu com o reinado de Davi. E desde o exílio babilônico eles alimentaram essa idéia e a crença que viria um Messias da linhagem de Davi. Até hoje eles se encontram nessa perspectiva. Alguns chegam até mesmo a acreditar que a presença do Estado de Israel é já o sinal e o cumprimento dessa expectativa que o povo alimentou de geração a geração.

O auge das celebrações para os judeus é representada pela Páscoa, em hebraico Pessah, que significa “passagem”. Nessa festa é comemorada a saída dos judeus do Egito onde ficaram como escravos durante cerca de 400anos.

Há uma profunda ligação entre cristianismo e judaísmo. E a razão é clara : o primeiro é proveniente do segundo . Há um axioma na Igreja Católica que diz :”A Igreja é filha da Sinagoga”. Jesus foi educado conforme os princípios judaicos, foi anualmente com seus pais a Jerusalém para a festa da Páscoa – quando Ele se perdeu no Templo, foi exatamente por ocasião dessa festa. Há portanto, uma matriz comum entre esses dois grupos religiosos : crença num único Deus, que é onipotente, misericordioso e onisciente; ambos partilham o Antigo Testamento; os Dez Mandamentos são vivenciados igualmente pelos dois grupos.

Mas como Jesus é visto na religião na qual foi criado e educado e que lhe ofereceu as bases do seu próprio discurso? Nos primeiros anos da Igreja ficou claro que a fé dos judeus-cristãos os deixou numa posição antagônica à dos judeus tradicionais.Não foi à toa que Jesus teve sua cabeça pedida pelos representantes da Lei. O Nazareno se dizia Filho de Deus, afirmava que o poder divino se manifestava através de suas obras e prodígios. Dessa forma Ele quebrou preceitos e costumes tradicionais : andava com os vagabundos do seu tempo,prostitutas, cobradores de impostos, quebrou o preceito do sábado e, sobretudo, se insurgiu contra os fariseus, representantes poderosos da religião do seu tempo –“Fazei o que eles dizem mas não o que eles fazem”.

Como o judaísmo poderia respeitar esse judeu marginal como o enviado do Deus Único?

Para os judeus Jesus pode ser visto como filho de Deus mas no sentido mais amplo do termo : todos os seres humanos também o são.

Quem foi Jesus ? É uma pergunta sempre atual e que pode ser respondida com e sem polêmica. Essa questão vem intrigando a cultura ocidental há mais de 2 mil anos.

As respostas são muitas. Mas a resposta maior e mais definidora encontra-se baseada na fé. É a fé na Ressurreição daquele que se proclamou como Filho de Deus que tem alimentado a fé dos cristãos e que pede que haja um efetivo diálogo para ver os pontos que unem as religiões e não apenas aqueles que as dividem.

Sebastião Heber. Professor da Uneb, da Faculdade 2 de Julho. Membro do IGHB, da Academia Mater Salvatoris, da Associação Nacional de Interpretação do Patrimônio,ANIP-Br. Colabora nas Paróquias da Vitória e de S. Pedro.

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I