Quando a professora fazia a chamada, o aluno respondia “presente” para dizer que estava na sala. Quando o padre celebra uma missa de “corpo presente”, significa que a pessoa já morreu. Quando alguém dá um presente, foi a expressão que encontrou para declarar sua amizade e ficar junto. Quando uma pessoa se apresenta, é como chegar e abrir uma porta para travar um diálogo e iniciar uma aventura de confiança.
             É verdade que o aluno pode estar de corpo presente, enquanto o seu centro vagueia, fora do tempo. Assim como, um corpo morto pode representar um grito que anuncia uma vida, ainda mais presente. Da mesma forma que um “presente de grego” pode esconder segundas e terceiras intenções, a apresentação mais cortês pode não passar de uma formula ritual e empacotada de impedir qualquer entrada.
             Recordo, com lágrimas, o ventilador de pilha, do tamanho de um brinquedo, que uma pessoa querida, que só dispunha de alguns trocados, escolheu para lembrar uma data na minha vida. Não era muito, nem vistoso, nem tampouco útil. Mas, guardo este presente significante pelo grau de ternura, cristalizado e em movimento, que se irradia e me alimenta sempre, sobretudo, nas horas das perguntas sem respostas.
             Quando uma pessoa se entrega no presente e a presença representa a pessoa inteira, produzimos o momento mágico, onde o sabor e a vida se presentificam. E, como toda mágica, esses gestos e essas horas já não precisam de explicação porque vieram para encantar. Assim, esse abstrato tão concreto, por ser intenso, vira memória que se eterniza e contagia, porque a recordação que se torna o presente, em qualquer tempo.

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I