“Porque nada podemos contra a Verdade, senão em favor da própria Verdade.

(Carta do Apóstolo Paulo à Igreja de Corintos, em 57 d.C.”

Como temos denunciado, pormenorizadamente, na série de artigos “O Cristianismo na Era do Estado do PT e do Governo Lula (2003-2010): uma análise reflexiva do processo de desconstrução dos preceitos e conceitos do ‘logos’ e do ‘ethos’ Cristão empreendido pelas políticas públicas do PT e do Governo Lula”, nos últimos oito anos, temos visto uma avalanche de políticas públicas e projetos de lei que, em si, visam à desconstrução (ou mesmo destruição, no sentido preconizado pelo filósofo ateísta Martin Heidegger) dos valores cristãos a respeito da Vida e da Família. Assim, como temos demonstrado e analisado na série citada, foram propostos pelo PT (Partido dos Trabalhadores) – seja no plano legislativo, seja no plano executivo federal – projetos de lei e programas de governo que visam à promoção do aborto, do homossexualismo (como o caso da promoção do homossexualismo nos livros didáticos de crianças e adolescentes e o financiamento público de paradas gays em todo o país), da derrocada do casamento (com projetos como o divórcio instantâneo) e da família tradicional, contrários à liberdade religiosa (como o caso do PL 122/2006), contrários às liberdades de pensamento, de opinião e de imprensa (como o caso do PNDH-3), entre outras aberrações político-jurídicas, altamente, anti-cristãs.

Assim, o quadro, sob o prisma da moral cristã, é estarrecedor e estupefaciente. Mas, pior que o quadro em si, é a realidade causal do mesmo, isto é, é entre os próprios “cristãos” e suas instituições onde encontramos alguns dos principais artífices, projetistas e colaboradores do governo Lula e do PT, exemplo gratia, CNBB, Igreja Universal e etc. Muito pior ainda é ver, depois de tanta apostasia ao cristianismo nesta Era do PT e do Governo Lula, novamente alguns desses mesmos “cristãos” (que mais se assemelham a pseudos-cristãos), exemplo gratia, Heleno Silva, Mardoqueu Bodano, Jony Marcos, entre tantos outros – seja no plano federal, seja no plano local – continuarem a apoiar a escalada totalitária e anti-cristã do Partido dos Trabalhadores.

Mas graças a Deus, existem cristãos de Verdade, da Verdade e para a defesa da Verdade, que não se renderam, nem negociaram os valores supremos e absolutos do Evangelho de Jesus Cristo. Aqui em Sergipe, temos importantes sacerdotes católicos que são firmes nas suas convicções cristãs e que, por assim serem, não cedem um til ou uma vírgula às artimanhas e tentações do poder político. Por isso mesmo, já começaram a orientar seus rebanhos e ovelhas no sentido de em quem não votar nas próximas eleições, porque estes que se enquadram nesta orientação, por certo, são candidatos que pertencem a partidos com ideais e projetos políticos notadamente anti-cristãos. E como o mandato (presidencial, governamental, congressista nacional, assembleísta estadual) pertence ao partido e não ao candidato – conforme decidiu o Tribunal Superior Eleitoral – é ilusão votar num candidato cristão que seja membro de um partido anti-cristão, porque, aquele, o candidato cristão, se votar contrariamente à orientação do partido no exercício das suas funções, pode ser expulso pelo mesmo e assim perder o seu mandato.

No plano nacional, podemos destacar como Católicos de Verdade, da Verdade e para a Verdade, o Pe. Paulo Ricardo (http://padrepauloricardo.org/cnp/), da Arquidiocese de Cuiabá (Mato Grosso), que tem se destacado na apologética da fé cristã e na defesa dos valores da vida e da família, assim como o Pe. Luiz Carlos Lodi da Cruz, do movimento Pró-Vida de Anápolis (http://www.providaanapolis.org.br/), que luta incessantemente contra as políticas públicas abortistas do atual governo. Mas, ao fim do ensaio desta semana, gostaria de destacar a coragem do Bispo de Guarulhos (São Paulo) – D. Luiz Gonzaga Bergonzini – que, firmemente, posicionou-se contra a anti-cristandade do governo petista e assim tem orientado seus fiéis. Indubitavelmente, um exemplo a ser seguido.

Se em Sergipe, os nossos sacerdotes católicos e pastores evangélicos (refiro-me aos cristãos de Verdade, da Verdade e para a Verdade) assim o fizerem, os cristãos, como se espera que seja, constituir-se-ão no grande diferencial eletivo das próximas eleições para presidente, governador, senador, deputado federal e deputado estadual.

Destarte, encerro com as palavras contundentes e corajosas deste católico de Verdade, da Verdade e para a Verdade, D. Luiz Gonzaga Bergonzini – Bispo de Guarulhos –, as quais subscrevo in totum:

“Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”
“Com esta frase Jesus definiu bem a autonomia e o respeito, que deve haver entre a política (César) e a religião (Deus). Por isto a Igreja não se posiciona nem faz campanha a favor de nenhum partido ou candidato, mas faz parte da sua missão zelar para que o que é de “Deus” não seja manipulado ou usurpado por “César” e vice-versa.

Quando acontece essa usurpação ou manipulação é dever da Igreja intervir convidando a não votar em partido ou candidato que torne perigosa a liberdade religiosa e de consciência ou desrespeito à vida humana e aos valores da família, pois tudo isso é de Deus e não de César. Vice-versa extrapola da missão da Igreja querer dominar ou substituir- se ao estado, pois neste caso ela estaria usurpando o que é de César e não de Deus.

Já na campanha eleitoral de 1996, denunciei um candidato que ofendeu pública e comprovadamente a Igreja, pois esta atitude foi uma usurpação por parte de César daquilo que é de Deus, ou seja, o respeito à liberdade religiosa.

Na atual conjuntura política o Partido dos Trabalhadores (PT) através de seu IIIº e IVº Congressos Nacionais (2007 e 2010 respectivamente), ratificando o 3º Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH3) através da punição dos deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso, por serem defensores da vida, se posicionou pública e abertamente a favor da legalização do aborto, contra os valores da família e contra a liberdade de consciência.

Na condição de Bispo Diocesano, como r e s p o n s á v e l pela defesa da fé, da moral e dos princípios fundamentais da lei natural que – por serem naturais procedem do próprio Deus e por isso atingem a todos os homens -, denunciamos e condenamos como contrárias às leis de Deus todas as formas de atentado contra a vida, dom de Deus, como o suicídio, o homicídio assim como o aborto pelo qual, criminosa e covardemente, tira-se a vida de um ser humano, completamente incapaz de se defender. A liberação do aborto que vem sendo discutida e aprovada por alguns políticos não pode ser aceita por quem se diz cristão ou católico. Já afirmamos muitas vezes e agora repetimos: não temos partido político, mas não podemos deixar de condenar a legalização do aborto. (confira-se Ex. 20,13; MT 5,21).

Isto posto, recomendamos a todos verdadeiros cristãos e verdadeiros católicos a que não dêem seu voto à Senhora Dilma Rousseff e demais candidatos que aprovam tais “liberações”, independentemente do partido a que pertençam.

Evangelizar é nossa responsabilidade, o que implica anunciar a verdade e denunciar o erro, procurando, dentro desses princípios, o melhor para o Brasil e nossos irmãos brasileiros e não é contrariando o Evangelho que podemos contar com as bênçãos de Deus (…).
D. Luiz Gonzaga Bergonzini – (http://www.diocesedeguarulhos.org.br)

(*)Uziel Santana dos Santos
[Professor da UFS, Advogado, Mestre em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco e Doutorando em Direito pela Universidad de Buenos Aires]
http://www.uzielsantana.pro.br
e-mail: [email protected]

Artigo publicado no Jornal Correio de Sergipe em 23 de julho de 2010.

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I