[email protected]

Em ano eleitoral, vale a pena relembrar alguns tópicos da velha questão entre o que é política e o que é politicalha. E o faço pegando carona na máxima do francês André Gide que já dizia: “tudo já foi dito uma vez, mas como ninguém escuta, é preciso dizer de novo.”

Apesar da grande proximidade entre ambas, causada pelo quase sempre trágico cenário político brasileiro nestes últimos trinta anos, política e politicalha não se confundem. Enquanto a primeira é a arte de gerir o Estado seguindo princípios definidos, regras morais, leis e, até em alguns casos, tradições respeitadas, a segunda pode ser resumida na exploração deste mesmo Estado em benefício de interesses pessoais.

E isto é o que basicamente estamos acostumados a ver. Vide os escândalos de corrupção, como os atuais com as tantas CPIs no governo do PT. Só que não devemos recuar diante desse decepcionante quadro, mas, antes de tudo, reforçar a ação de cidadania que cabe a cada um de nós, ou seja, procurar sempre participar da vida política, seja nas esferas municipal, estadual ou federal. Porque aquele nefasto imposto que você paga a contragosto, aquela louca sinalização de trânsito, aquele elefante branco no seu município, isso e muito mais brotam dos legislativos e executivos.

O que me faz lembrar de outra máxima: “conhecimento, sem visão e força moral, gera tecnocratas. Força moral, sem visão e conhecimento, gera ideólogos. Visão, sem força moral e conhecimento, gera demagogos”. Se você não a conhecia, espero que ela o ajude na escolha do perfil dos políticos que elegeu e, principalmente, dos que ainda pretende eleger.

Mas todo esse grave cenário social que o país apresenta, causado principalmente pela ausência do Estado no cumprimento de seus deveres, não deixa de ser também um reflexo da característica de um Estado corrupto, este que é facilmente identificável pelo seu imenso número de leis.

Por isso é bom a gente se ligar na política e escolher bem os candidatos. Porque, se você é um daqueles que afirma não gostar de política, e geralmente faz parte daquele outro grupo que nem sequer lembra em qual candidato votou na última eleição, pode ter a certeza de que continuará, mal ou bem, sendo governado por aqueles que gostam. E, o que é pior, engrossando a fileira da politicalha.

Texto retirado do livro do auator – “Surtos & Sustos”

Obs: Imagem enviada pelo autor.

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I