21 Dezembro, 2009

1. Ouvi dizer que toda forma de cultura – música, dança, teatro, pintura – deve ser a manifestação entusiasmada de uma vitória alcançada, ainda que em sinal. E a arte seria a busca ansiosa para partilhar o vulcão de alegria ou de buscas que invadem a alma das pessoas.

2. As festas de fim de ano, apesar dos 500 anos, ainda representam a canalização do entusiasmo e das explicações de outra cultura. Elas foram introjetadas, na alma brasileira, pela força e pelo hábito, como imposição cultural, para fins de domínio, conquista e comércio.

3. O povo bem que tentou incorporar essas importações – auto de natal, pastorinhas – dando-lhe um colorido tropical. Mas, foi sempre visto como algo marginal e folclórico. O que domina é o papai Noel recriado pela Coca-cola, com trenó, neve, rena e a mercantilização dos presentes.

4. As festas não brotam ‘natural’ como o São João reinventado e temperado com o sabor nativo. Os símbolos e festejos parecem ocos, já não traduzem a gratidão pela fartura da colheita, nem o anúncio cristão de uma nova ordem onde quem trabalha não come o pão de ninguém.

5. Mas, não basta bradar com Aldemar Paiva (Monólogo de Natal): “Não gosto de você Papai Noel. Também não gosto desse seu papel de vender ilusões pra burguesia. Se os garotos humildes da cidade soubessem do seu ódio à humildade, jogavam pedra nessa fantasia”.

6. Toda indignação legítima é justa, porém, a denúncia não pode ser o centro de nossa crença. A vida é viver e anunciar a vida. Só os pastores da noite e os que lêem nas entrelinhas, ao viver a contradição sem a ela se render, são capazes de perceber a Esperança, seguindo sua estrela.

7. Hoje, é um tempo de buscas. A iluminação dos shoppings centers e presépios atraem a multidão à procura. Ansiosa e à deriva, ela se aglomera, corre atrás da miragem consumista e enche a praça de alimentação. O rebanho, por ínvios caminhos, estaria atrás da Vida Fraterna?

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I