fevereiro de 2009.

IMPACTOS DA CRISE

A tendência principal é que atual crise que também é cíclica, inaugure um longo processo depressivo, que dure vários anos. Um longo período depressivo admite breves momentos de retomada, mas inevitavelmente seguido de agravamentos maiores dos impactos sociais. O elemento diferenciador da nova conjuntura é abertura de um período de intensificação das reivindicações sociais possibilitando mudanças.

As medidas econômicas utilizadas para aplacar a crise, através de injeção de recursos para setores debilitados, se demonstrarão incapazes de conter o processo de queda da taxa de lucro, gerando tensões cada vez maiores resultantes de desemprego, flexibilização dos direitos trabalhistas e a tentativa de redução salários.

A crise econômica pode agravar a crise alimentar. A elevação do padrão de vida nos países asiáticos industrializados, especialmente China e Índia, provocaram um enriquecimento dos hábitos alimentares que não foi acompanhado pela produção de alimentos. Tal fato, aliado com a política de produção de agro-combustíveis, da penetração das transnacionais na agricultura e destruição sistemática dos programas de apoio á agricultura produtora de alimentos, acarreta um cenário de grave crise alimentar.

A crise atinge o Brasil em um momento em que a economia vinha apresentando indicadores positivos – redução de desemprego, pequena recuperação salarial e melhoria no acesso ao crédito. Este fator potencializa o impacto, gerando um agravamento súbito nas condições de vida da maior parte das famílias. O impacto da crise na economia latino-americana e brasileira, em especial no mercado de trabalho, já se fez sentir no final de 2008, mas eclodirá de modo drástico já no primeiro semestre de 2009, agravando-se ao longo do ano.

A crise, porém, abre uma oportunidade histórica porque altera o quadro geopolítico internacional que determina o rearranjo dos países e da ordem econômica mundial e possibilita iniciativas que enfraqueçam o imperialismo. Aos movimentos sociais cabe a tarefa de utilizar os recursos pedagógicos disponíveis para explicar as causas, efeitos e saídas para esta crise. Os grandes meios de comunicação explicam a crise como uma catástrofe da natureza… e exigirá uma postura passiva ante seus inevitáveis e terríveis efeitos. O papel do movimento social será explicar sua causa, apontar os responsáveis e propor as soluções que interessam ao povo.
As forças do capital transnacional, sob a hegemonia dos EUA, mantêm ainda a ofensiva, apesar do crescimento das múltiplas resistências nos países de nosso continente, cuja vitória principal se expressou na Campanha contra a ALCA.

As crises desestruturam os mecanismos de dominação e antecedem as mudanças ao impossibilitar as mesmas condições de sobrevivência e empurrar o povo na busca de saídas. A experiência demonstra que o povo busca esgotar os caminhos usuais e permitidos para a realização de suas esperanças.

O cenário provável indica as seguintes possibilidades e tendências que podem se tornar bandeiras mobilizadoras, em todo o mundo:

Aumento do desemprego em todos os setores da economia; fechamento e falência de empresas; carestia em razão do aumento dos preços dos alimentos; agravamento súbito das condições de vida das famílias que tiveram acesso a empregos e bens de consumo nos últimos anos; aceleração da deterioração e desmonte dos aparatos públicos de saúde e educação; manifestações em mercados e armazéns exigindo alimentos e ocupações de fábricas falidas, intensificação das medidas jurídicas e do aparato repressivo para criminalizar as lutas sociais; reconfiguração e fortalecimento do setor militar nos setores não atingido pela crise; necessidade de articulação de lutas continentais.

 

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I