maio/98 – (roteiro para debate)

9.DEMAGOGIA – É uma maneira esperta de falar e de agir com a intenção de manipular e “fazer a cabeça” da população para receber seu apoio. Por isso, hoje quando se fala em democracia, quase sempre é um discurso demagógico. Quem manda, de fato, no País são os grupos econômicos (inclusive estrangeiros) que pagam as campanhas da maioria dos eleitos e depois exigem benefícios, em troca. Seus meios de comunicação iludem e mobilizam os votantes.

10.ELEIÇÃO – O tipo de eleição que conhecemos, hoje, é a negação ou a redução da democracia – evita brutalmente o envolvimento e a participação dos cidadãos. O máximo que existe é a presença de cabos eleitorais garantindo seu ganho particular ou uma multidão de clientes pedindo favores.

Em geral, o povo não gosta de eleição. Onde o voto é livre o povo não comparece. Ou porque não foi educado para isso ou porque desacredita dos chamados políticos. Nos Estados Unidos, considerado o exemplo de Democracia, apenas 30% dos eleitores comparecem para votar.

Dizer que o voto é o “supremo ato da democracia” é, no mínimo, uma fantasia. Sem falar que são muitos os casos onde o voto da maioria não significa que a escolha é certa. Ao contrário, mostra apenas que há muito mais gente enganada.

11.FAZER POLÍTICA – É ter consciência crítica, é participar, é tomar decisões, é defender uma posição, é cobrar responsabilidades, é fazer propostas, é escolher representantes (referências) comprometidas para reforçar um projeto de sociedade. O povo faz política quando se junta, organiza e canaliza seus pensamentos e sua força para a construção da cidade feliz.

12.APRENDIZADO – O envolvimento das pessoas e grupos nesse processo de ser sujeito pode abrir suas mentes para a pergunta: se escolhemos presidente, prefeito, governadores, representantes que fazem leis porque não escolhemos os juizes, os chefes religiosos (papa, bispos, pastores), o presidente do Banco Central, o comandante das forças aramadas, o delegado de polícia, a diretora do colégio, as matérias escolares…?

13.VOTO – O ato de votar, em qualquer instância, só se torna verdadeiro ato político quando a pessoa se dispõe e tem as condições mínimas de participar no processo: conhecimento da realidade, capacidade de elaborar propostas e tomar decisões, envolver-se na execução e acompanhar os encaminhamentos.

Obs: A Parte I foi postada no dia 06.09.2008

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I