Em tempos de guerra em que os perigos se aproximam de todos os lados, os soldados lutam incessantemente para preservar as suas vidas, pois sabem o valor que elas têm. Por esse motivo é que todos se esforçam para que o último suspiro não seja dado antes do curso natural de cada ser.
Por isso, no atual momento, a discussão acerca da vida de seres indefesos está aberta. De um lado estão aqueles que são mais ousados e defendem que o futuro do feto em formação deve ser decidido exclusivamente pela mãe e pelas condições futuras que esse ser virá a ter, concretizando assim o darwinismo social, pois se o meio pode influenciar o futuro biológico de um ser, nada mais é que a contextualização da teoria de Darwin.
Por outro lado, estão os que defendem o direito a vida e que não haja interferência humana, no decorrer do seu desenvolvimento biológico. Esses argumentam que aprovar uma medida que não veja mais o aborto como crime, é simplesmente abrir portas para que seja ele praticado, porém não resolverá os problemas que perpassam por essa questão, como insegurança da vida das mães que o fazem, pois a saúde pública é precária.
Entretanto, seria possível conciliar uma medicina que sempre se preocupou em curar doenças e salvar vidas com uma medicina que deverá matar um ser que anseia por viver? Possivelmente essa será a grande contradição da evolução científica dos últimos anos. Diante de tantas discussões, aprovar tal medida seria aumentar o número de ações que desrespeitam a vida, como a violência que aflige a maiorias das grandes cidades.
Portanto, a vida do ser humano deve ser respeitada até a sua consumação, e o estado não tem o direito de aprovar uma lei ou medida que venha decidir o futuro da existência. Mas exercer o direito e dever de fornecer condições para que todos os cidadãos tenham vida assegurada e sem risco.

Obs: a imagem em preto e branco foi enviada pelo autor.

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I