O grande problema que assola, hoje, a Amazônia quanto à exploração pura e simples para o acúmulo de capital, principalmente, dos produtores de grãos e do setor madeireiro é uma herança da propaganda e do incentivo sem fronteiras éticas da política de ocupação e povoamento desta região iniciada pelo governo brasileiro – Ditadura Militar – nas décadas de 60, 70 e início dos anos 80. Um povoamento que pudesse sustentar-se na exploração desenfreada de nossas riquezas naturais. E essa política de devastação continua até os dias atuais e com efeitos quase irreversíveis em algumas áreas desse grande organismo chamado Amazônia.

Não quero defender uma Amazônia intocada, quero sim, alertar para que políticas públicas ambientais sejam discutidas a fim de se encontrarem mecanismos que possibilitem a exploração de nossas riquezas com o mínimo de agressão ao meio ambiente, pois soa como irracional uma exploração que mata sem perceber a importância da preservação desse espaço para a humanidade.
E quando eu falo de Amazônia brasileira, não estou querendo delimitar propriedade, estou propondo, enquanto humanista, que se encare com sensatez a possibilidade de salvar a Amazônia. E por que não com a sua internacionalização? Não estou dizendo para venderem a Amazônia, mas que se pense esse organismo como um bem da humanidade, pois sua destruição ou preservação afetam não só os brasileiros, mas toda a população mundial. Pensando assim, porque somente o Brasil se diz dono e gerenciador desse espaço geográfico? Não seria mais prudente que a humanidade pudesse participar das discussões de uso desses recursos, bem como ajudar na fiscalização dessa exploração? Sinceramente entendo que sim, e que tudo que esteja ligado direto ao bem-estar da humanidade deveria ser internacionalizado.

Não estou pedindo que vendam a Amazônia brasileira, é diferente, estou propondo que mais países possam estar discutindo políticas públicas para esta região. Quem sabe desta forma nossas leis ambientais sejam respeitadas.
É extremamente constrangedor, como amazônida que sou e que cresci vendo a beleza de nossa Pérola do Tapajós – Santarém-PA -, assistir aos desmandos de madeireiros e grandes produtores de grãos, principalmente, exterminarem nossas florestas sem o menor pudor e pior, com o aval de alguns funcionários públicos federais do IBAMA e do INCRA e, claro, com o apoio de grande parte de nossos políticos e de nossa população ignorante política e ambientalmente.
Está na hora do governo e da sociedade civil organizada brasileira, reconhecerem que estão falhando enquanto gestores de um patrimônio da humanidade com valor inestimável e pedirem ajuda a outros países. É essa a internacionalização que eu defendo uma internacionalização que ajude a amenizar o problema da devastação de nossas matas, e conseqüentemente, de nossas ricas fontes de água doce.

A Amazônia pede socorro, e esse é um grito que não deve ser ouvido apenas por brasileiros, mas por toda a humanidade e a urgência desse socorro se faz necessária, principalmente, para garantir a continuidade de nossas espécies singulares, inclusive a do próprio ser humano.

Professor da Rede Pública Municipal de Santarém
Pedagogo e Especialista em Ciências Sociais, formado pela UFPA
Graduando do Curso de Química pela UFPA.

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I