Maria Inês Simões 1 de agosto de 2006

 

Calmo como a serenata dos amantes que embalam um sonho. Ter nos braços aconchego. Definida à medida, se quebra como barro. Pouco valor nesta profundidade. Pequena encenação. Só queria absolvição, amassada tal qual argila nesta terra de ninguém. Era só um vaso, não comportava as lágrimas que insistiam em ocupar o vento, se expandiam na areia insistente, mania de borbulhar na extremidade daqueles olhos. Aflição talvez, tormento salgado. Angústia de um termo imensidão.

——————————————–
Bauru/SP
www.misimoes.virtualismo.com.br

 

Obs: imagem enviada pela autora

Este texto expressa exclusivamente a opinião do autor e foi publicado da forma como foi recebido, sem alterações pela equipe do Entrelaços.


busca
autores

Autores

biblioteca

Biblioteca

Entrelaços do Coração é uma revista online e sem fins lucrativos compartilhada por diversos autores. Neste espaço, você encontra várias vertentes da literatura: atualidades, crônicas, reportagens, contos, poesias, fotografias, entre outros. Não há linha específica a ser seguida, pois acreditamos que a unidade do SER é buscada na multiplicidade de ideias, sonhos, projetos. Cada autor assume inteira responsabilidade sobre o conteúdo, não representando necessariamente a linha editorial dos demais.
Poemas Silenciosos

Flickr do (Entre)laços

ExposiçãoDesenhos

Série "Natureza"

Série Natureza

DeJanelaEmJanela

DeCostas

Série "Detalhes"

Série "MoradaImprovisada"

Série Morada Improvisada

Finados

Tratando de peixe

Série Flores

Série Flores

Esporte na Colônia

Série Natureza 01

Série Natureza 05

Caxambu

Caxambu

Caxambu - 02

Caxambu - 01

Penumbra...

Aglomeração...

Portão florido...

Barra Palace

Conjunto Harmonioso...

Reunião privada...

Espaços ocupados...

Arquitetura Perfeita...

Convergência II

Convergência I